Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 25 de agosto de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

MS teve o maior aumento de famílias acampadas do País

17 Abr 2007 - 05h31
Mato Grosso do Sul foi o Estado brasileiro com o maior número de famílias a integrar movimentos pró-reforma agrária durante o ano de 2006. No período, um total de 2.870 famílias foram para “debaixo da lona” no Estado, auxiliando na constituição de seis novos acampamentos – o quarto maior total do País. No Brasil, houve o acréscimo de 10.259 famílias ao total que aguardam a reforma agrária, com a criação de 67 novas concentrações de sem-terra.

Os movimentos foram responsáveis pela constituição de acampamentos em Angélica (fazenda Macaco), Batayporã (fazenda Primavera), Bodoquena (fazendas Cachoeira e Boca da Onça), Novo Horizonte do Sul (Someco) e Rio Negro (Serra Brava).

Os dados são da Comissão Pastoral da Terra, dentro do levantamento “Conflitos no Campo Brasil 2006”, apresentado na manhã desta segunda-feira (16 de abril) em Brasília. O documento, que nacionalmente apontou também o aumento da violência no campo, indica que apenas no ano passado o Brasil registrou 39 assassinatos em conflitos por terra – um a mais do que o registrado em 2005. Nenhum homicídio foi consumado, no período, em Mato Grosso Sul.

Durante o ano de 2006, Mato Grosso do Sul teve 39 áreas de conflito agrário, causado por disputas por terras entre acampados, indígenas e proprietários, envolvendo 11.041 famílias e mais de 196 mil hectares. Além disso, foram contabilizados 54 casos de violência contra a pessoa referentes a conflitos, nos quais foram registradas duas mortes em conseqüência desses confrontos e uma tentativa de assassinato. Em todas essas situações, que atingiram 78.939 pessoas, seis pessoas foram presas.

O levantamento da CPT indica que uma pessoa foi vítima de tentativa de homicídio nesses conflitos: o indígena Silvério Recarte (66 anos), rezador guarani-kaiowá, foi ferido com um tiro em um confronto na fazenda São Lucas, na região do Sombrerito, em Sete Quedas, no dia 12 de dezembro de 2006. O fato foi denunciado pelo Cimi.

Já as duas mortes relatadas pela Pastoral seriam conseqüências diretas da briga por terras – envolvendo casos como desnutrição e problemas de saúde causados pela falta de assistência, dentre outros. Tratam-se de duas crianças da etnia guarani-kaiowá, com idade inferior a um ano (Celiandra Peralta e Osvaldo Barbosa), que faleceram na região de Nhanderu-Marangatu, em Antônio João, em 27 de março do ano passado.

No mesmo período, os movimentos ligados à reforma agrária e aos direitos de acampados, indígenas e outras minorias promoveram 29 atos de protesto no Estado. As ações incluíram protestos em rodovias, ocupação de prédios públicos e agências bancárias e um ato contra a instalação de destilarias de álcool na bacia do Paraguai – efetuado na Assembléia Legislativa.

Ocupações – Segundo a CPT, em 2006 foram registradas 22 ocupações de terras no Estado, todas sob responsabilidades de movimentos pró-reforma agrária. As primeiras ações neste sentido ocorreram entre os dias 4 e 6 de janeiro do ano passado, nas cidades de Sidrolândia (fazendas Alambari, Eldorado, Eldorado II, Barra Nova, Serra Bonita, Santa Clara e Estrela), Angélica (Santa Rosa), Campo Grande (Morro Bonito), Chapadão do Sul e Costa Rica (Mateira), Corumbá (São Gabriel), Nova Alvorada do Sul (Mutum I), Ribas do Rio Pardo (Avaré), Rio Brilhante (Lagoa Azul), Taquarussu (Bela Manhã) e Terenos (Santa Mônica). Em todo o Brasil, foram 384 ocupações.

Escalada – Conforme comunicado da Pastoral da Terra, entre 1985 e 2006, o país teve 1.104 conflitos com assassinatos, onde morreram 1.464 trabalhadores. Dessas ocorrências, apenas 85 foram a julgamento. O caso mais famoso ocorreu em 17 de abril de 2006, quando 16 sem-terra foram mortos no “massacre de Eldorado do Carajás”, no Pará. Para lembrar a ação dos trabalhadores, em 2002 foi aprovada a lei que instituiu o 17 de abril como o Dia Nacional de Luta pela Reforma Agrária.

 
 
Portal do MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

A CASA CAIU
Homem pede divórcio ao descobrir que não é pai de nenhum dos nove filhos
ESTADO GRAVE
Homem ateia fogo em mulher e filha de 4 anos 80% do corpo queimado
SURPRESA E FÉ
Homem que morava em uma barraca ganha casa reformada
JUSTIÇA PROPRIAS MÃOS
Suspeito de ter estuprado criança é assassinado por lideranças de bairro
ASSISTA A REPORTAGEM
Família da modelo Mylena Mendes, que morreu em acidente faz protesto no Fórum
NOVELA GLOBAL
Régis confessa que forjou DNA de Arthur em 'A dona do pedaço'
FOGO NA AMAZONIA
Macron diz que Bolsonaro mentiu, e Europa ameaça retaliar Brasil
TURISMO
Curtir a Cidade Maravilhosa com pacotes de viagens baratos
FUTEBOL - PAIXÃO NACIONAL
Uma estrutura confiável para resultados de futebol
POSSE DE ARMA
Posse de arma em toda extensão da fazenda é aprovada e segue para sanção