Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

MS tem potencial para produzir 20% do álcool do País

27 Ago 2007 - 14h22

Mato Grosso do Sul tem potencial para ser responsável por 20% da produção de etanol no Brasil e abastecer 10% do mercado mundial em 30 anos, mas para isso teria que aumentar em 12 vezes a produção atual, que é de quase um milhão de metros cúbicos em 200 mil hectares de área. A afirmação é do governador André Puccinelli, que abriu o ciclo de 11 palestras do 1º Congresso de Tecnologia na Cadeia Produtiva da Cana-de-Açúcar em Mato Grosso do Sul, com o tema “Ações do governo do Estado”.
 
Mato Grosso do Sul, segundo o governador, só ficaria atrás apenas do Mato Grosso, que produziria 24% do etanol no País em 30 anos. Juntos, os demais estados brasileiros, produziriam 56% do combustível. Em sua palestra, Puccinelli ressaltou os projetos necessários para que essa previsão se torne real. Entre eles, está o poliduto, orçado em R$ 2 bilhões, que transportaria o álcool produzido no Estado até Paranaguá e traria o diesel, a gasolina e o GLP para Mato Grosso do Sul, barateando o preço desses produtos.
 
“Temos que atingir 2,5 milhões de metros cúbicos até o final de 2009 para viabilizarmos o poliduto”, explica. Segundo ele, atualmente 11 usinas de álcool estão instaladas no Estado, 31 estão em implantação e 28 em negociação, totalizando 70 usinas. A instalação dessas usinas, conforme o governador, será feita de acordo com o macrozoneamento econômico e ambiental do Estado, que termina em junho do próximo ano. “Através dele vamos saber o que se pode plantar, onde e quais usinas poderão ser instaladas”, afirma, dizendo que ciência já provou que a cana-de-açúcar evita a erosão e gera créditos de carbono.
 
Além disso, o governador citou outros projetos como prioritários para o desenvolvimento de Mato Grosso do Sul: novas linhas de transmissões de energia; a federalização e pavimentação da MS-040; a construção da ferrovia Maracaju/Dourados/Cascavel (PR);  estadualização e pedagiamento da BR-163; construção de uma terminal de cargas no Aeroporto Internacional de Campo Grande, e o Projeto de Integração da Fronteira, dividido em duas etapas: Sanga Puitã (Ponta Porã) até Sete Quedas e  Sete Quedas até a divisa com o Paraná.
 
Medidas

No início de sua palestra, o governador fez um resumo das medidas tomadas ao assumir a administração estadual como as reduções do número de secretarias de 14 para 11 e de cargos comissionados, além da avaliação de todos os contratos, a suspensão de gastos e a redução do duodécimo dos Poderes. “Reduzimos o custeio em 40%, adotamos uma política fiscal e tributária justa e vamos modernizar a estrutura tributária do Estado até o meio do ano que vem”, resumiu

 

 

TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho