Menu
SADER_FULL
segunda, 22 de julho de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

MS responde por 41% dos casos de dengue no país

11 Abr 2007 - 05h42

Os casos de dengue continuam aumentando no país. O último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde contabiliza, até 26 de março, 134.909 casos suspeitos em todo o país, 25% acima do total verificado no mesmo período do ano passado. O balanço anterior, de 12 de março, indicava pouco mais de 85 mil casos. Ou seja, em apenas 15 dias, houve acréscimo de 50 mil casos. Até o momento, foram registradas cinco mortes por dengue hemorrágica.

O estado em que a situação é mais grave é Mato Grosso do Sul, com cerca de 55 mil casos (55.567) registrados pelo Ministério da Saúde, ou 41,18% do total. Em seguida, vêm os estados de São Paulo, com pouco mais de 12 mil casos; Rio de Janeiro, com quase 9 mil; Mato Grosso, com cerca de 8,5 mil; Minas Gerais, com cerca de 8 mil; e Paraná, com pouco menos de 8 mil casos.

Em termos de região, a Centro-Oeste é a que apresenta mais casos, cerca de 51% do total. Em seguida, vêm as regiões Sudeste, com 22,66%; Nordeste, com 13,4%; Norte, com 6,7%; e Sul, com 5,9%.

De acordo com o Ministério da Saúde, o elevado número de casos na Região Centro-Oeste se deve ao surto por dengue tipo 3 que está ocorrendo no estado de Mato Grosso do Sul. Os municípios mais atingidos no estado são Campo Grande (capital), Dourados e Três Lagoas.

“O município de Campo Grande teve um problema no final do ano passado, em que 25% das casas que deveriam ser trabalhadas não foram trabalhadas, principalmente por estarem fechadas ou os moradores recusarem. Os fatores climáticos com essa questão das casas foram suficientes para fazer o aumento da infestação”, afirmou o diretor de Gestão do Ministério da Saúde, Fabiano Pimenta.

De acordo com Pimenta, o Ministério da Saúde está atuando desde o começo da epidemia, prestando todo apoio que a secretaria estadual e as municipais de saúde solicitaram, com a presença do próprio ministro da Saúde (na época, Agenor Álvares), em 1º de fevereiro, discutindo estratégias para a intensificação das ações de controle.

“Foram remanejados dez veículos para aplicação de inseticida, remanejados mais 12 mil litros de inseticida, realizamos um telemarketing com a população, dando as informações sobre a epidemia, além de cursos para os técnicos do estado”, explicou Pimenta.

Segundo ele, o pico epidêmico no estado já está em "processo de descendência", ou seja, o número de casos começa a diminuir. “Nós já entramos em abril. Então, as condições climáticas já não são tão favoráveis ao vetor, as chuvas ficam mais esparsadas e além disso as medidas de controle estão sendo adotadas”.

Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONCURSOS
Ao menos 12 órgãos abrem inscrições para preencher quase 800 vagas
VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082