Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

MS recebe verba para municípios com baixo IDH

15 Set 2004 - 13h42
O Ministério da Saúde concedeu em agosto um aumento de 50% nos incentivos repassados para as equipes do Programa Saúde da Família (PSF) dos 2.262 municípios brasileiros com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) menor ou igual a 0,7. Em Mato Grosso do Sul, cinco municípios se enquadram nesses critérios e serão beneficiados: Porto Murtinho, Dois Irmãos do Buriti, Japorã, Paranhos e Tacuru. Também receberão o benefício 40 municípios do Estado com população remanescente de quilombos ou residente em assentamentos, mas que não se incluem nos critérios do IDH. O Ministério do Desenvolvimento Agrário revisará anualmente, no mês de junho, esses beneficiários.



Segundo Carine Costa, da coordenadoria do Programa Saúde da Família, o repasse da verba será feito diretamente para as prefeituras, que a irão utilizar para o investimento do Programa. O aumento vai possibilitar a contratação de 7.435 novos Agentes Comunitários de Saúde (ACS) para atuar no Programa Saúde da Família do Brasil inteiro. A medida é fundamental para promover a eqüidade de atendimento, principalmente nas regiões de difícil acesso, como nas áreas rurais, nos assentamentos e nos quilombolas.



Esse repasse foi autorizado pelo Ministro da Saúde, Humberto Costa, através da portaria 1434 de 14 de julho de 2004. Entre as considerações constam: as desigualdades encontradas entre as regiões estaduais e municipais que foram verificadas com base nos indicadores epidemiológicos; muitos municípios que apresentam dificuldades para contratação e fixação de profissionais, repercutindo diretamente na estruturação e oferta dos serviços de saúde e a dificuldade de acesso das populações assentadas e quilombolas às ações e aos serviços de saúde, por suas características sociais.



IDH - O Índice de Desenvolvimento Humano pretende ser uma medida geral e sintética do desenvolvimento humano. O índice, que varia de zero a um, além de computar o PIB per capita, depois de corrigi-lo pelo poder de compra da moeda de cada país, leva em conta também dois outros componentes: a longevidade e a educação. Para aferir a longevidade, o indicador utiliza números de expectativa de vida ao nascer. O item educação é avaliado pelo índice de analfabetismo e pela taxa de matrícula em todos os níveis de ensino. É um indicador usado em todo o mundo para analisar as condições de educação, renda e longevidade de um determinado grupo populacional. Municípios com IDH entre 0,5 e 0,7 oferecem condições de vida apenas medianas aos seus habitantes. Os que têm índice inferior a 0,5 integram a lista daqueles com pior desenvolvimento humano.



O IDH de Mato Grosso do Sul


IDHM, 1991- 0,716
IDHM, 2000 - 0,778
IDHM-Renda, 1991 - 0,675
IDHM-Renda, 2000 - 0,718
IDHM-Longevidade, 1991 - 0,699
IDHM-Longevidade, 2000 - 0,751
IDHM-Educação, 1991 - 0,773
IDHM-Educação, 2000 - 0,864
 
 
MS Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai