Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 19 de março de 2019
prefeitura VICENTINA Março 2019
Busca
ITALÍNEA
Brasil

MS recebe mais recursos para ações básicas de sáude

14 Out 2004 - 10h46
O Ministério da Saúde aumentou o valor do repasse mínimo anual por habitante para ações básicas de saúde. O aumento é de R$ 10,00 para R$ 13,00 por habitante/ano. Esse valor corresponde à parte fixa do Piso de Atenção Básica (PAB), cujos recursos são transferidos para municípios e o Distrito Federal. O reajuste significará em todo o Brasil mais R$ 228,96 milhões anualmente para os municípios. A elevação do valor do PAB para R$ 13,00 beneficiou 74 municípios sul mato-grossenses, que recebiam, antes do aumento, repasse per capita entre R$ 10,00 e R$ 12,99.

Até o mês de agosto o valor repassado ao Mato Grosso do Sul, referente à parte fixa do Piso de Atenção Básica, era de R$ 2.074.281,05. Com o reajuste do valor mínimo, esse repasse passou para R$ 2.354.904,37.

O reajuste representa um importante incremento no atendimento básico, já que oferece maior apoio financeiro a estados e municípios. O PAB consiste em recursos financeiros destinados a investimentos de procedimentos e ações de assistência básica, de competência dos municípios.

Entre as ações financiadas com esses recursos estão as consultas medicas em especialidades básicas, atendimento odontológico básico, vacinação, visita e atendimento ambulatorial e domiciliar do Programa de Saúde da Família (PSF), assistência pré-natal, pequenas cirurgias, atividades dos agentes comunitários de saúde e pronto-atendimento em unidade básica de saúde.

A elevação do valor do PAB beneficiou 4.847 municípios no País. A população beneficiada pelo reajuste é de 163.616.427 habitantes, 92,51% da população brasileira. Até o mês de agosto o valor repassado aos municípios, referente à parte fixa do PAB, era de R$ 170.179.632, 09. Com o reajuste do valor mínimo, esse repasse passou para R$ 194.187.743,68.

Habilitação - Além disso, o MS promoveu importantes mudanças no processo de habilitação dos municípios e Distrito Federal na atenção básica, que a partir de agora são responsáveis pela gestão do Sistema Municipal de Saúde para a organização e execução das ações de atenção básica. A intenção do Ministério, ao reformular a forma de habilitação, foi aumentar o financiamento da Atenção Básica para um número significativo de municípios, diminuindo as diferenças existentes nesse financiamento.

Entre as principais responsabilidades dos municípios em relação à gestão e execução da atenção básica destacam-se a garantia de acesso a serviços de saúde de qualidade e da integralidade das ações prestadas de forma interdisciplinar, humanização do atendimento, qualificação permanente dos profissionais de saúde, estímulo à participação popular e ao controle social na gestão dos serviços, promoção da eqüidade na atenção à saúde, desenvolvimento de ações educativas e assegurar os processos de integração.

Caso não cumpram as exigências, os gestores municipais estarão sujeitos a penalidades que vão de comunicação aos Conselhos Estaduais e Municipais de Saúde à comunicação ao Tribunal de Contas do estado e do município. As Secretarias Estaduais de Saúde também têm responsabilidades na gestão da atenção básica, como apoio político e financeiro e promoção de capacitação e desenvolvimento de recursos humanos, além do acompanhamento, regulação e avaliação dos serviços.

 

APn


Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSÉDIO SEXUAL
Homem é morto a tiros após assediar mulher casada
FATALIDADE
Mulher morre ao cair de pé de abacate e bater cabeça na linha do trem
MANIACO SEXUAL
Pai flagra estupro da filha dentro de casa usando o celular, suspeito foi preso
FAMOSIDADES
Quem era Bettina antes do R$ 1 Milhão: Ela foi professora de balé, modelo e panfleteira
MENTOR DO MASSACRE
Polícia de Suzano apreende menor suspeito de planejar ataque
INTERNADO
Criança de 4 anos cai em poço de cinco metros de profundidade
RESGATADO
Cão abandonado em ilha estava sendo comido vivo por urubus
SEXTUPLOS
Americana dá à luz seis bebês em nove minutos
TRAGÉDIA EVITADA
Garoto de 11 anos leva faca na mochila para matar colega no ônibus escolar
ALERTA AOS PAIS
Menino de quatro anos corta os pulsos em Goioerê e pode ser influência da Momo