Menu
SADER_FULL
sábado, 15 de dezembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

MS pode transformar pastagens degradadas em áreas de reflorestamento

6 Ago 2010 - 06h21Por Fátima News com assessoria

A silvicultura é um setor em crescimento no Estado, isso pode ser verificado pela demanda para os próximos cinco anos, que é de 500 mil hectares de florestas plantadas. Parte dessa demanda vem da mineradora Vetorial, que produz ferro-gusa e que junto com a Ramires Reflorestamento procurou a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) para que seja estudada a possibilidade de utilização das áreas de pastagens degradadas para o plantio de eucalipto.

Com a instalação de indústrias que utilizam madeira de reflorestamento e o lançamento do Plano Estadual de Florestas, Mato Grosso do Sul tornou-se um ponto estratégico para o desenvolvimento da atividade. Um ponto importante é que mesmo com a crescente demanda, o Estado pode atendê-la sem prejuízo de outras atividades produtivas. Isso porque a Secretaria de Produção e Turismo (Seprotur) calcula em 9 milhões de hectares a área de pastagem degradada. De acordo com o superintendente da Famasul, Carlos Alberto do Valle, uma primeira reunião de aproximação foi realizada com a participação de produtores que possam investir no setor dos municípios de Anastácio, Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Corumbá, Dois Irmãos do Buriti e Nioaque.

“A possibilidade das florestas plantadas são muitas. Não há redução de mata nativa e utilização de madeira de reflorestamento ao invés do carvão mineral pelas usinas tem um impacto ambiental muito menor”, explica o superintendente da Famasul. O projeto da vetorial visa o plantio de 60 mil hectares em MS, destes, 25 mil devem estar plantados até o início de 2011. A empresa pretende aproveitar a área de pastagens degradadas, que no Estado não precisam de licença ambiental para receber florestas plantadas.

Para os produtores que optarem pelo arrendamento de suas terras, o contrato será de no mínimo 21 anos e o proprietário fica livre das obrigações operacionais, ambientais e trabalhistas da atividade. A remuneração fixa segue a referência da pecuária e o proprietário receberá um percentual de madeira para vender a valores de mercado, podendo chegar a uma boa participação sobre a produção.

No Brasil, o tempo de crescimento do eucalipto é de sete anos, o que torna o País muito competitivo no segmento de silvicultura. Introduzir a atividade no Estado significa diversificação. “É importante que o produtor não se restrinja a uma atividade apenas, pois em um momento de crise há sempre outro produto que possa compensar perdas”, conclui Carlos Alberto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo
JUSTIÇA - WHATSAPP
Administradora de grupo no WhatsApp, foi “condenada” á pagar 3 mil por discussão de membros
DICAS DE SERVIÇO DE HOSPEDAGEM NA WEB
Vai criar um blog ou um site?, saiba aqui tudo sobre o serviço de hospedagem
ALERTA NA NET
Golpe no WhatsApp engana usuários ao prometer brindes falsos de Natal