Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 11 de dezembro de 2018
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

MS deve se tornar pólo exportador de energia da biomassa

27 Ago 2010 - 14h10Por MS Notícias

A partir de 2015 o Mato Grosso do Sul será um grande produtor de energia elétrica extraída da queima do bagaço e da palha de cana – se tornando auto-suficiente na produção de energia com excedente para garantir o suprimento de outros estados. Em cinco anos as usinas de álcool estarão produzindo 1,2 milhão de megawatts, 145% a mais do que o consumo estadual. Ou seja, por essas projeções haverá oferta de energia da biomassa suficiente para atender toda a demanda de Mato Grosso do Sul – 500 mw – e haveria um excedente de 700 mw.

O governador André Puccinelli concedeu incentivos fiscais diferenciados – isenção de 90% do ICMS para as usinas que tenham o ciclo completo de produção (álcool, açúcar e energia). Com apoio da bancada federal, André conseguiu convencer o governo federal a incluir no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) a implantação de linhas de transmissão e 471 quilômetros de rede coletoras para conectar as usina às linhas de transmissão do sistema nacional. Estão sendo investidos R$ 600 milhões no projeto que terá uma extensão de 820 quilômetros. Atualmente, as 21 usinas em funcionamento no Estado produzem 250 MW, mas só 10 comercializam o excedente – aproximadamente 130 megawatts - por falta de redes coletoras de conexão às linhas de transmissão do sistema nacional.

No leilão para compra de energias alternativas que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) promoveu nesta semana, três usinas se habilitaram para vender energia da biomassa a partir de janeiro do ano que vem. A Usina Eldorado, de Rio Brilhante, vai começar vendendo 12 mw para chegar em 2013 a 59 MW; a de Angélica, disponibilizará 150 mw e a São Fernando de Dourados, 180 mw com previsão de chegar em três anos a 350 mw. Em todo o País, só 33 projetos conseguiram habilitação junto a Empresa de Pesquisa Energética. As usinas vão receber R$ 154,25 pelo quilowatt/hora.

Para o presidente da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (BIOSUL), Roberto Hollanda, o apoio do Estado foi decisivo para consolidar os investimentos que transformarão o Estado num dos players nacionais mais importantes do setor.

O consultor João Pedro Cutti Dias vê o investimento em projetos de geração de energia por biomassa como a grande saída para os empreendedores. “Essa possibilidade de investir para produzir energia limpa é extremamente viável porque moderniza os equipamentos e em pouco tempo o investimento se paga. Com isso a empresa garante energia mais confiável e mais ofertas para o negócio”, detalhou. “Esta oferta de energia da biomassa é fundamental também para garantir maior confiabilidade ao suprimento energético do estado. Como vamos estar próximos da geração, a perda de energia é mínima, acabando com as oscilações que muitas vezes comprometem a produção industrial”.

Entre as usinas que estão vendendo o seu excedente de energia a LDC Bioenergia de Rio Brilhante exporta 40 MWh, com previsão de atingir 60 MWh em dois anos, enquanto a Usina Pasatempo (do mesmo grupo) também deve aumentar sua potência instalada para 60 MWh.

A ETH Bionergia, empresa do grupo Odebrecht em sociedade com a Sojitz Corporation Trading multinacional que atua na comercialização de commodities, está apostando neste negócio. A empresa quer aumentar de 12 MW para 130 MW a capacidade de produção das suas duas usinas em funcionamento no Estado (em Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante) e uma terceira também em Nova Alvorada.

Segundo o diretor de produção, Ailton Reis, “o programa do governo estadual coincide com as prioridades da ETH. Fomos recebidos de braços abertos no Mato Grosso do Sul”. Além de incentivos fiscais o governador trabalha para garantir investimentos na conservação e ampliação das rodovias e ferrovias e na criação de infraestrutura portuária para escoamento da produção.

Em março último, o governador assinou um protocolo de intenções com o Governo Federal e o Governo do Paraná para a realização de estudos de viabilidade de implantação do alcoolduto que cortará o estado rumo ao Porto de Paranaguá, com uma extensão de 920 km.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede
DICA DO DIA
Como obter uma autorização de residência no Brasil
CENTRO ESPÍRITA
Médium é acusado de Abusos Sexuais em crianças
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Nicolau leva surra de chicote no bordel
COVARDIA
Mulher agride menino autista em playground e vídeo viraliza