Menu
SADER_FULL
terça, 18 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Mortes no trânsito caem 6,2% após lei seca, diz ministro

19 Jun 2010 - 10h20Por Folha Online
O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira que o número de mortes em decorrência de acidentes de trânsito caiu 6,2% nos 12 meses seguintes à implementação da lei seca, que aumentou a restrição ao consumo de álcool para motoristas. A lei completa dois anos em vigor neste domingo (20), mas as informações sobre o segundo ano ainda não estão disponíveis --o ministério utiliza como base atestados de óbitos remetidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Nos dozes meses anteriores à entrada em vigor da lei, de julho de 2007 a junho de 2008, o número de mortes chegou a 37.161 no país. Já nos doze meses seguintes, de julho de 2008 a junho de 2009, o total foi de 34.859. Isso significa que, em todo o país, foram registradas 2.302 mortes a menos após a implementação da lei.

Regionalmente, porém, os resultados obtidos foram bastante diversos. O Sudeste, com melhor desempenho, teve queda de 10,6% nas mortes, seguido pelo Sul (-7,5%), pelo Nordeste (-2,8%) e pelo Centro-Oeste (-0,3%). Já o Norte registrou aumento de 2,6% no número de vítimas fatais do trânsito.

O bom resultado no Sudeste é explicado principalmente pelo Rio de Janeiro. As mortes registradas nesse Estado caíram 32% no período. Espírito Santo (-18,6%), Alagoas (-15,8%), Distrito Federal (-15,1%) e Santa Catarina (-11,2%) completam a lista das cinco maiores reduções. Já São Paulo, que tem a maior frota do país, teve queda de 6,5%.

Como a população cresceu no período, a redução na taxa de mortalidade (número de mortes por 100 mil habitantes) foi ainda maior. No Brasil, a taxa passou de 18,7 para 17,3, uma redução de -7,4%. No Rio, mais uma vez o Estado com melhor resultado, passou de 12,7 para 8,5, o que representa uma queda de 32,5%. Já em São Paulo, a queda foi de 7%, próxima da média nacional. Nesse Estado, o risco de morrer em acidente de trânsito era de 17,2 por 100 mil antes da lei seca e passou para 16 nos 12 meses seguintes a lei.

O Ministério da Saúde também divulgou dados de uma pesquisa telefônica feita anualmente com 54 mil pessoas e que mostra que, com a implementação da lei seca, diminuiu a parcela que dirige após consumo abusivo de álcool. Em 2007, 2,1% dos entrevistados afirmaram dirigido após beber nos 30 dias anteriores à pesquisa. No ano em que a legislação tornou-se mais rigorosa, esse percentual caiu para 1,4%. Em 2009, porém, já foi registrada uma pequena alta, para 1,7%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ALCOOLISMO
Menino de 9 anos é expulso de casa pela mãe alcoólatra por se recusar a roubar, no DF
LATROCINIO
Tentativa de assalto termina com pai morto e filho baleado
MENOR INFRATOR
Cobradora é apedrejada em assalto e adolescente é detido pela 4ª vez
FAMOSIDADES
Justiça condena Deborah Secco por desvio de dinheiro público
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Severo vai morar com mendigos e vira vizinho de Agenor
CLUELDADE
Por mãe estar sem o celular, ladrão dá facada em bebê de 3 meses
ECONOMIA
Mercado financeiro já trabalha para traçar cenários sem Bolsonaro
PROCURA-SE
Adolescente desaparece e família recebe ligação misteriosa
TRAGÉDIA
Jovens irmãos morrem em grave acidente; caminhonete chegou a se partir ao meio
FAMOSIDADES
Justiça decreta prisão de Dado Dolabella por insulto à ex mulher