Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Mortes no trânsito caem 6,2% após lei seca, diz ministro

19 Jun 2010 - 10h20Por Folha Online
O Ministério da Saúde divulgou nesta sexta-feira que o número de mortes em decorrência de acidentes de trânsito caiu 6,2% nos 12 meses seguintes à implementação da lei seca, que aumentou a restrição ao consumo de álcool para motoristas. A lei completa dois anos em vigor neste domingo (20), mas as informações sobre o segundo ano ainda não estão disponíveis --o ministério utiliza como base atestados de óbitos remetidos pelas secretarias estaduais de saúde.

Nos dozes meses anteriores à entrada em vigor da lei, de julho de 2007 a junho de 2008, o número de mortes chegou a 37.161 no país. Já nos doze meses seguintes, de julho de 2008 a junho de 2009, o total foi de 34.859. Isso significa que, em todo o país, foram registradas 2.302 mortes a menos após a implementação da lei.

Regionalmente, porém, os resultados obtidos foram bastante diversos. O Sudeste, com melhor desempenho, teve queda de 10,6% nas mortes, seguido pelo Sul (-7,5%), pelo Nordeste (-2,8%) e pelo Centro-Oeste (-0,3%). Já o Norte registrou aumento de 2,6% no número de vítimas fatais do trânsito.

O bom resultado no Sudeste é explicado principalmente pelo Rio de Janeiro. As mortes registradas nesse Estado caíram 32% no período. Espírito Santo (-18,6%), Alagoas (-15,8%), Distrito Federal (-15,1%) e Santa Catarina (-11,2%) completam a lista das cinco maiores reduções. Já São Paulo, que tem a maior frota do país, teve queda de 6,5%.

Como a população cresceu no período, a redução na taxa de mortalidade (número de mortes por 100 mil habitantes) foi ainda maior. No Brasil, a taxa passou de 18,7 para 17,3, uma redução de -7,4%. No Rio, mais uma vez o Estado com melhor resultado, passou de 12,7 para 8,5, o que representa uma queda de 32,5%. Já em São Paulo, a queda foi de 7%, próxima da média nacional. Nesse Estado, o risco de morrer em acidente de trânsito era de 17,2 por 100 mil antes da lei seca e passou para 16 nos 12 meses seguintes a lei.

O Ministério da Saúde também divulgou dados de uma pesquisa telefônica feita anualmente com 54 mil pessoas e que mostra que, com a implementação da lei seca, diminuiu a parcela que dirige após consumo abusivo de álcool. Em 2007, 2,1% dos entrevistados afirmaram dirigido após beber nos 30 dias anteriores à pesquisa. No ano em que a legislação tornou-se mais rigorosa, esse percentual caiu para 1,4%. Em 2009, porém, já foi registrada uma pequena alta, para 1,7%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação