Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 15 de outubro de 2018
SADER_FULL
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Moka não concorda com a interpretação do TSE

16 Abr 2007 - 15h27

O presidente estadual do PMDB, deputado federal Waldemir Moka, disse não concordar com a interpretação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o pertencimento do mandato eletivo. Há poucos dias, o Tribunal emitiu parecer, em resposta à consulta, segundo o qual define que os mandatos pertencem ao partido ou coligação e não ao parlamentar eleito.

Moka, durante visita ao presidente da Câmara de Vereadores de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), nesta manhã, disse que sempre defendeu a fidelidade partidária, mas declarou ainda que “é preciso que as coisas sejam feitas de forma organizada. A partir da próxima eleição, por exemplo. (...) Mas não concordo que esta interpretação do TSE seja retroativa, não é correto”, declarou, conforme a assessoria da Câmara.

A decisão do TSE provocou uma corrida pela recuperação de mandatos perdidos. O PT campo-grandense protocolou pedido de devolução do mandato do vereador Clemêncio Ribeiro, que, eleito pelo PT, ingressou posteriormente no PRTB e no PMDB.

A assessoria jurídica do PTB também já informou que vão tentar recuperar os mandatos do deputado federal Maurício Picarelli e da vereadora por Campo Grande, Magali Picarelli. Atualmente, o casal atualmente está no PMDB, mas ambos se elegeram pelo PTB.

O presidente estadual do PMN também disse que o partido vai tentar reaver o mandato do vereador por Campo Grande Alcides Bernal, que está sem partido.

Nesta semana o vereador Osdival Gomes, de Guarapuava (PR), perdeu o mandato devido à decisão do TSE. Osdival havia trocado o PMDB pelo PP. A decisão do afastamento atendeu a um pedido do diretório municipal do PMDB após consulta à assessoria jurídica da Câmara de Guarapuava.

Edil concordou com Moka, disse que “até porque muita gente trocou de partido devido à cláusula de barreira e à verticalização. É preciso cuidado com este assunto sob pena de cometer injustiças”, alegou. Para o vereador Paulo Siufi, que trocou o PRTB pelo PMDB, é preciso respeitar o voto da população. “Se for algo acertado anteriormente concordo. Mas desta forma retroativa não”, disse Siufi.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
Rapaz agride avós de adolescente que não quis namorar com ele; avó morreu
TRAGEDIA NA RODOVIA
Carro ocupado por sete pessoas se envolve em acidente; cinco morreram
REVOLTANTE
Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar irmão em presídio
ACIDENTE FATAL
Douradense morre em acidente no RS
REALITY SHOW
A Fazenda 10: Ana Paula é eliminada e se manifesta contra Bolsonaro
FACÇÃO CRIMINOSA
Decapitada por Satã do PCC, jovem morreu por exigir respeito após roubo de chinelo
REVISTA VEJA
Pesquisa: Bolsonaro tem 54% dos votos válidos; Haddad, 46%
A FAZENDA
Fazendeiro Evandro Santo gera nova punição
COPA DO BRASIL
Corinthians promete maior prêmio de sua história por título
VIOLENCIA
Jovem não reage a assalto mesmo assim é baleado dentro de ônibus