Menu
SADER_FULL
segunda, 22 de julho de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Moka não concorda com a interpretação do TSE

16 Abr 2007 - 15h27

O presidente estadual do PMDB, deputado federal Waldemir Moka, disse não concordar com a interpretação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o pertencimento do mandato eletivo. Há poucos dias, o Tribunal emitiu parecer, em resposta à consulta, segundo o qual define que os mandatos pertencem ao partido ou coligação e não ao parlamentar eleito.

Moka, durante visita ao presidente da Câmara de Vereadores de Campo Grande, Edil Albuquerque (PMDB), nesta manhã, disse que sempre defendeu a fidelidade partidária, mas declarou ainda que “é preciso que as coisas sejam feitas de forma organizada. A partir da próxima eleição, por exemplo. (...) Mas não concordo que esta interpretação do TSE seja retroativa, não é correto”, declarou, conforme a assessoria da Câmara.

A decisão do TSE provocou uma corrida pela recuperação de mandatos perdidos. O PT campo-grandense protocolou pedido de devolução do mandato do vereador Clemêncio Ribeiro, que, eleito pelo PT, ingressou posteriormente no PRTB e no PMDB.

A assessoria jurídica do PTB também já informou que vão tentar recuperar os mandatos do deputado federal Maurício Picarelli e da vereadora por Campo Grande, Magali Picarelli. Atualmente, o casal atualmente está no PMDB, mas ambos se elegeram pelo PTB.

O presidente estadual do PMN também disse que o partido vai tentar reaver o mandato do vereador por Campo Grande Alcides Bernal, que está sem partido.

Nesta semana o vereador Osdival Gomes, de Guarapuava (PR), perdeu o mandato devido à decisão do TSE. Osdival havia trocado o PMDB pelo PP. A decisão do afastamento atendeu a um pedido do diretório municipal do PMDB após consulta à assessoria jurídica da Câmara de Guarapuava.

Edil concordou com Moka, disse que “até porque muita gente trocou de partido devido à cláusula de barreira e à verticalização. É preciso cuidado com este assunto sob pena de cometer injustiças”, alegou. Para o vereador Paulo Siufi, que trocou o PRTB pelo PMDB, é preciso respeitar o voto da população. “Se for algo acertado anteriormente concordo. Mas desta forma retroativa não”, disse Siufi.

 

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONCURSOS
Ao menos 12 órgãos abrem inscrições para preencher quase 800 vagas
VICENTINA SENDO REPRESENTADA NO RJ
Vicentina será representada no Internacional de Masters South América de Jiu-jitsu no Rio de Janeiro
POLITICA
'Falar que passa-se fome no Brasil é uma grande mentira', afirma Bolsonaro
NOVELA GLOBAL
Maria da Paz se recusa a enxergar caráter de Josiane em 'A dona do pedaço'
REGIME SEMIABERTO
Goleiro Bruno deve sair da cadeia no fim da tarde desta sexta-feira
CASO RARO
Bezerro de seis patas chama atenção moradores de Santa Helena – Veja Vídeo
MONSTRUOSIDADE
Vizinho é preso suspeito de estuprar e estrangular menina de 8 anos
CASA PRÓPRIA
Recurso de R$ 1 bilhão é destinado ao Minha Casa, Minha Vida
VIDA SAUDÁVEL
Homem mais velho do Brasil falece no Rio de Janeiro
BASTA DE IMPRUDÊNCIA
Enlutada pelas mortes, população deixa faixa contra imprudência na PR-082