Menu
SADER_FULL
terça, 16 de outubro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Moka diz que florestas plantadas diversificam economia de MS

14 Jul 2010 - 06h01Por Fátima News com assessoria

O deputado federal Waldemir Moka (PMDB), candidato ao Senado pela coligação Amor, Trabalho e Fé  participou nesta segunda-feira (12) da abertura do evento Ribas Florestal 2010 no município de Ribas do Rio Pardo e disse que a plantação de florestas constitui uma alternativa irreversívelpara promover a diversificação da economia de Mato Grosso do Sul.”Hoje temos uma das maiores fábricas de celulose do mundo, em Três Lagoas, e mais duas unidades em instalação, o que significa mercado para madeira, uma atividade ambientalmente correta, que preserva a mata nativa e reduz o efeito estufa”, explicou Moka.

Segundo Moka, práticas que agregam pouco valor como a pecuária extensiva, por exemplo, devem ser aliadas a atividades como o plantio de florestas, que, além de gerar benefícios econômicos por meio da geração de emprego e renda e da instalação de indústrias,resulta também em impactos positivos para o meio ambiente, através dos bons resultados que se pode alcançar no manejo de pastagens, na conservação de recursos hídricos e  na redução de processos erosivos.‘É possível aliar os sistemas florestais aos sistemas agropastoris de maneira sustentável, com ganhos ao meio ambiente”, destaca o deputado.

De acordo com a Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas (Reflore MS), a estimativa é de que a área ocupada pelo plantio de florestas em MS seja de 308 a 310 mil hectares, o que faz com que o Estado ocupe a sétima posição nacional em área de florestas plantadas. As regiões que concentram os maiores plantios são as de Campo Grande e Três Lagoas. Mas o aumento da demanda estima que, dentro de poucos anos serão pelo menos 1 milhão de hectares cultivados com madeira,boa parte desses espaço consorciado com a pecuária.

Código Florestal - Os debates sobre a prática da silvicultura no Estado remetem à discussão sobre o Código Florestal, cuja proposta de reforma, aprovada com a participação do deputado Moka no último dia 7 de julho pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados, deverá ser votada ainda neste semestre. Entre as principais mudanças apontadas pelo novo texto está a permissão para os Estados concederem licenças ambientais, atribuição que hoje é exclusiva da União e a redução dos percentuais das reservas legais estabelecidos hoje em 80% no caso da Amazônia, 35% no Cerrado e 20% nas demais áreas.

“As mudanças no texto do Código Florestal representam um avanço na matéria, modernizam a legislação tornando-a mais adequada à realidade que vivemos hoje e foram pensadas de maneira a satisfazer tanto os produtores rurais, quanto os ambientalistas”, conclui o parlamentar.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

HORARIO DE VERÃO
Início do horário de verão não será adiado, informa o Planalto
IBOPE PARA PRESIDENTE
Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
ASSASSINATO
Rapaz agride avós de adolescente que não quis namorar com ele; avó morreu
TRAGEDIA NA RODOVIA
Carro ocupado por sete pessoas se envolve em acidente; cinco morreram
REVOLTANTE
Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar irmão em presídio
ACIDENTE FATAL
Douradense morre em acidente no RS
REALITY SHOW
A Fazenda 10: Ana Paula é eliminada e se manifesta contra Bolsonaro
FACÇÃO CRIMINOSA
Decapitada por Satã do PCC, jovem morreu por exigir respeito após roubo de chinelo
REVISTA VEJA
Pesquisa: Bolsonaro tem 54% dos votos válidos; Haddad, 46%
A FAZENDA
Fazendeiro Evandro Santo gera nova punição