Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Missão negocia fim do embargo russo à carne brasileira

20 Set 2004 - 15h48
Uma missão do governo brasileiro viajou para a Rússia para negociar o fim do embargo à carne brasileira. O embargo, que vale a partir do dia 20 para as carnes bovina e suína, foi determinado por causa de um foco de febre aftosa registrado no estado do Amazonas. A região não tem autorização para exportar carne porque não faz parte da área classificada como livre de aftosa e é considerada de alto risco para casos da doença. De acordo com o Ministério da Agricultura, essas informações foram transmitidas aos países que importam carne do Brasil.

É a segunda vez que a Rússia suspende a importação da carne brasileira. O governo russo proibiu a entrada do produto brasileiro em junho depois da descoberta de um foco de aftosa no Pará, outro estado que não exporta. Na época, a justificativa dos russos foi a de que confundiram Pará com Paraná. Os russos cancelaram a proibição, mas barraram a carne proveniente do Mato Grosso, por fazer divisa com o Pará.

O ministro interino da Agricultura, José Amauri Dimarzio, afirmou nesta sexta-feira que o embargo anunciado pelo governo russo à carne brasileira representou uma "atitude precipitada" e admitiu que possa existir "um outro interesse" além do cuidado com a saúde dos consumidores. O embargo foi decretado depois que o governo brasileiro confirmou ter descoberto na sexta-feira passada um foco de febre aftosa numa pequena propriedade rural a 36 quilômetros de Manaus (AM).

Dimarzio lembrou que neste momento a Rússia tenta fechar um contrato para exportação de trigo para o Brasil, mas a operação não foi definida porque as autoridades brasileiras exigem a adoção de novas medidas sanitárias para o produto russo. A estimativa do Ministério da Agricultura é que, mantido o embargo, o prejuízo diário do país será de R$ 4 milhões. No pior cenário, em que não haja uma solução para a retirada do embargo, Dimarzio calcula que o prejuízo poderá somar até dezembro US$ 250 milhões, o correspondente a 200 mil toneladas de carne.

- Não quero afirmar, mas pode ser que exista outro interesse. O que eles precisam entender definitivamente é que o Brasil é um país de dimensões continentais e que, neste sentido, é muito demorado o trabalho para erradicação da febre aftosa - disse o ministro interino, que se reuniu em São Paulo com representantes de produtores de carne bovina, suína e de frango.

Pelos números mais recentes, a Rússia é responsável por cerca de 20% das exportações de carne do país. Para tentar chegar a um entendimento, vão embarcar na noite deste sábado para Moscou o secretário de Produção e Comercialização do Ministério da Agricultura, o chefe do Departamento de Saúde Animal e um técnico da área de Defesa Vegetal. A expectativa é que eles sejam recebidos pelas autoridades russas na próxima terça-feira.

- Tenho certeza de que, com as explicações técnicas e políticas, possamos derrubar este embargo - disse o ministro interino da Agricultura.

Esta é a segunda vez que a Rússia embarga a compra de carne brasileira. A primeira foi em junho passado, quando foi detectado no Pará um foco de febre aftosa. A medida foi derrubada pelo governo brasileiro com o argumento de que a carne produzida no Pará não é exportada para nenhum país, como ocorre também com a produção do Amazonas.
 
 
 
 
MS Notícias

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho