Menu
SADER_FULL
terça, 19 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Missão equatoriana visita aldeias em Mato Grosso do Sul

20 Jul 2010 - 18h02Por MS Notícias

Profissionais da Saúde do Equador estão no Brasil desde a semana passada para conhecer o Modelo de Atenção à Saúde Indígena e trocar experiências com os técnicos em saúde indígena da Fundação Nacional de Saúde – Funasa.

A Missão é composta por cinco funcionárias do Ministério da Saúde do Equador: a advogada Andrea Pichasaca, a médica Mônica Casagallo, a enfermeira e coordenadora da Missão Equatoriana, Georgina de La Cruz, a diretora de um Hospital Modelo de Atenção a Saúde no Equador Magdalia Hermosa e enfermeira Sofia Pozo.

A visita teve início no Departamento de Saúde Indígena (Desai) em Brasília na última quinta-feira (15/07) quando assistiram várias apresentações retratando histórico da população indígena brasileira, etnias e as principais ações dentro da gestão de atenção básica à saúde, desenvolvida pela Funasa. No dia seguinte as técnicas em saúde visitaram a Casa de Apoio à Saúde Indígena (Casai/DF) e o Ministério da Saúde onde tiveram noções sobre o funcionamento do Sistema Único de Saúde – SUS.

Em Mato Grosso do Sul a Missão chegou dia (20/07) em Campo Grande, acompanhada pela responsável do Setor de Gestão de Pessoal do Desai, Vânia Vianna, direto na sede da Funasa, onde foi recebida pelo substituto do coordenador regional da Funasa de MS, Gilberto Durão Aranda, pelo chefe do Dsei/MS Nelson Olazar e Wanderley Guenka. A primeira atividade foi acompanhar uma apresentação no Distrito Sanitário Especial de Mato Grosso do Sul (Dsei/MS), sobre o funcionamento da saúde indígena no Estado, apontada como modelo no país.

Um dos principais pontos discutidos foi a organização de dados epidemiológicos dos pacientes assistidos pelo Dsei/MS nas aldeias, através de um sistema específico de informações, com histórico de cada atendimento.

A Missão Equatoriana está em busca de conhecimento para aperfeiçoar o sistema de informação na área de saúde indígena do Equador, que possui 18 povos indígenas pertencentes a 14 nacionalidades.

Ainda hoje (20), a Missão segue para Dourados (MS) onde irá visitar o Pólo-Base, a Casai e as duas maiores aldeias do Estado, Bororó e Jaguapirú, que juntas possuem população de mais de 13 mil guaranis e Kaiowás. No dia 22 a Missão segue para Amambaí (MS), a 350 quilômetros da capital no sudoeste do Estado, onde os técnicos visitarão outras três aldeias. Em Mato Grosso do Sul a Funasa é responsável pela atenção básica à população indígena em 72 aldeias distribuídas em 26 municípios, administradas através de 15 unidades chamadas Pólos-Bases, compostos por 33 equipes multidisciplinares de saúde, agentes indígenas de saúde (Ais), agentes indígenas de saneamento (Aisans) e três Casas de Apoio à Saúde Indígena (Casai).

A oportunidade de intercâmbio é de interesse dos profissionais em saúde dos dois países. “Para nós está sendo uma experiência enriquecedora e esperamos aplicar pouco a pouco o que aprendemos aqui no Brasil com a Funasa”, disse a médica Mônica Casagallo.

Em março deste ano, cinco técnicos em Saúde Indígena da Fundação Nacional de Saúde, entre eles o chefe do Dsei de MS, Nelson Olazar e o índio Kaiowá Silvio Ortiz enfermeiro do Pólo-Base de Dourados, foram ao Equador para participarem de um Encontro na capital Quito, com objetivo de capacitar técnicos equatorianos em gestão e prática sanitária no contexto intercultural relacionado às populações indígenas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ACIDENTE FATAL
Adolescente é atropelada quando levava pai em cadeira de rodas, veja o vídeo
VIOLENCIA DOMESTICA
'Não consigo reconhecê-la', diz irmão de mulher espancada no 1° encontro
O REI ROBERTO CARLOS
Roberto Carlos vestiu rosa e se mostrou contrário a projeto de Jair Bolsonaro
BRIGA NO PLANALTO
Magoado e traído, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro
TRÁGICO
Mãe do piloto de Ricardo Boechat morre três dias após o filho
OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário