Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

Ministra destaca pioneirismo de MS nos 20 anos dos Juizados

10 Set 2010 - 15h42Por Portal do MS

Foi realizada no final da tarde de quinta-feira (09), no Plenário do TJMS, a solenidade de comemoração dos 20 anos de criação dos juizados especiais no Estado, um verdadeiro modelo de justiça participativa e resolutiva para o poder judiciário nacional.

A Ministra do Superior Tribunal de Justiça, Fátima Nancy Andrighi, proclamou sua homenagem ao Des. Rêmolo Letteriello, “cuja vocação e galhardia têm conferido inegável impulso ao êxito alcançado pelo Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul na prestação da tutela jurisdicional em sua plenitude”. Para a ministra, “são atos de pioneirismo como os desta terra de gigantes notáveis que permitem a tangibilidade do ideal de acesso à Justiça”.

Com a plateia repleta de juízes, representantes do Ministério Público e da Defensoria, de conciliadores, juízes leigos, operadores dos juizados e admiradores desta justiça célere e participativa, o idealizador dos juizados especiais no Estado, Des. Rêmolo Letteriello, foi homenageado.

Seu pronunciamento foi uma mistura de comemoração pela vitória ao longo de 20 anos de trabalho e um misto de preocupação pelo tratamento dispensados aos juizados especiais em todo o país nos dias atuais.

Rêmolo Letteriello apontou que há quem, “por indesculpável descaso e malquerença, a enxergam como uma subjustiça, criada para servir a subjurisdicionados, ou a uma parcela de cidadãos de pouca importância; desdenham dos resultados das pesquisas de opinião pública que apontam os juizados como a instituição judicial de maior prestaza e confiabilidade”.

Para marcar a data o Tribunal de Justiça lançou um selo comemorativo e uma revista especial, relatando os principais momentos da história desse trabalho desde sua criação. Na revista, além de uma entrevista especial com o Des. Rêmolo Letteriello, há informações essenciais como a competência; a história dos juizados que, por ser uma ação pioneira, elevou o Estado à vanguarda no país.

A Desa. Tânia Garcia de Freitas Borges saudou, em nome do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, a Ministra do STJ, Fátima Nancy Andrighi, que além de proferir palestra, foi homenageada pelo TJMS durante a solenidade com a Comenda “Colar do Mérito Judiciário”.

No discurso de saudação à ministra, a desembargadora enalteceu os trabalhos realizados pela ministra do STJ e também pelo Des. Rêmolo Letteriello que, em suas palavras “se confundem e se mesclam com a criação dos Juizados de Pequenas Causas, hoje denominados Juizados Especiais, que funcionam como instrumento do Poder Judiciário para garantia de um ordenamento jurídico efetivo e justo”, destacou.

O Procurador-Geral de Justiça de Mato Grosso do Sul, Paulo Alberto Pereira de Oliveira, em seu discurso na solenidade de Comemoração destacou que o evento deste dia 9 de setembro marca na memória da sociedade a implantação de uma distinguida justiça que se tornou um modelo de prestação jurisdicional participativa e resolutiva, se configurando como um divisor de águas na história do Poder Judiciário Brasileiro.

Paulo Alberto de Oliveira destacou o trabalho desenvolvido pelo Des. Rêmolo, “idealizador da referida Lei nº 1.071/90, notabilizando nacionalmente nosso Estado como pioneiro na implantação dessa Justiça Especializada. Graças à visão e ao costumeiro descortino do Des. Rêmolo, aquilo que era promessa constitucional, passou à realidade em nosso Estado”, enfatizou.

Representando a OAB/MS, na solenidade o advogado Elton Luis Nasser de Mello apontou o momento como uma oportunidade de reflexão. Ele lembrou que viver a vocação é colocar em prática o mandamento ditado pelo próprio Cristo, que é amar ao próximo. “E amar ao próximo é pensar, criar, edificar, transformar o sonho em realidade. É ouvir e permitir que uma pessoa, que se sinta lesada, violada no seu direito, possa receber a atenção devida e buscar o exercício da função jurisdicional com as garantias constitucionais que a todos são asseguradas.”, salientou.

Durante a cerimônia, os primeiros juízes a atuar nos juizados especiais receberam uma placa como forma de reconhecimento pela coragem de participar de projeto tão ambicioso e desbravador. Outro a receber o reconhecimento público foi o desembargador aposentado Nildo de Carvalho – ele era membro da administração no biênio em que a Lei nº 1.071, que criou os Juizados Especiais em MS, foi sancionada.

Entre os homenageados, os primeiros juízes a atuar nos juizados em Campo Grande: Darion Leão Lino, no 1º Juizado Cível, e Sideni Soncini Pimentel, no 3º Juizado Cível. Na área criminal atuaram João Maria Lós, no 1º Juizado Criminal, e Divoncir Schreiner Maran, no 2º Juizado Criminal.

Os primeiros a judicar nos juizados da comarca de Dourados, que receberam as homenagens, foram Edson Ernesto Ricardo Portes, no 4º Juizado Cível; Ademar Pereira, no 5º Juizado Cível; Tenir Miranda, no 4º Juizado Criminal, e Paulo Alfeu Puccinelli, no 5º Juizado Criminal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico