Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Ministério Público rechaça críticas sobre depoimento de Adriano

4 Jun 2010 - 17h01Por Folha Online

O Ministério Público do Estado do Rio divulgou nesta tarde nota defendendo a oitiva do jogador Adriano pelo promotor Alexandre Themístocles, ocorrida anteontem, e fazendo uma crítica velada ao presidente da Academia de Polícia do Rio, Wladimir Reale.

Segundo o jornal "O Globo", ontem Reale reclamou do Ministério Público por ter ouvido Adriano antes da polícia. Ele afirmou que o órgão se precipitou, "agiu contra a lei" e "vem se notabilizando pela pirotecnia".

Na segunda-feira, o atleta faltou a um depoimento agendado na 38ª DP, em Brás de Pina (zona norte do Rio). Na terça ele falou ao promotor e ontem finalmente compareceu à delegacia.

O Ministério Público "repudia quaisquer afirmações de que tenha realizado operações espetaculosas ou em desacordo com a lei nas investigações envolvendo o jogador", afirma a nota.

O órgão "apenas atendeu, por intermédio de seu promotor de justiça, o requerimento da defesa do jogador para sua inquirição nas dependências da promotoria, de comum acordo com a autoridade policial encarregada das investigações, que, posteriormente, decidiu não comparecer ao depoimento", continua o texto.

"Assim, não há qualquer descumprimento da lei", afirma a nota, assinada pela assessoria de comunicação social do Ministério Público.

Após ouvir Adriano, anteontem, a promotoria divulgou nota em que tratava o jogador como "suspeito" e afirmava que há "fortes indícios" do envolvimento dele com o traficante Fabiano Atanásio da Silva, o FB.

Ontem, o delegado Luiz Alberto Andrade afirmou que não há indícios suficientes para indiciar Adriano, ouvido pela Polícia Civil como testemunha em inquérito que investiga traficantes.

FB é líder do Comando Vermelho e suposto autor da ordem de ataque ao helicóptero da Polícia Militar derrubado em outubro de 2009 na zona norte do Rio.

Uma escuta telefônica legal realizada pela polícia em dezembro passado indica que Adriano sacou R$ 60 mil de sua conta e entregou o dinheiro a FB. À polícia, Adriano confirmou o saque, mas disse que o dinheiro foi usado para comprar cestas básicas distribuídas para a comunidade da Vila Cruzeiro (zona norte do Rio), onde morou na infância.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação