Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sexta, 28 de fevereiro de 2020
SADER_FULL
Busca
Brasil

Ministério das Cidades discute políticas para deficientes

29 Jun 2004 - 17h37
As cidades precisam ser atualizadas em diretrizes e procedimentos que garantam o acesso e a locomoção de toda a população e não apenas de suas supostas maiorias. O Brasil tem 26,5 milhões de portadores de algum tipo de deficiência, dos quais pelo menos 14% têm alguma deficiência física, revela o Censo 2000 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além desses, também os idosos, as gestantes, os obesos e as crianças formam um conjunto significativo da população que precisa ser levado em conta em projetos das cidades. Para permitir que essas pessoas tenham acesso facilitado, o Ministério das Cidades lançou neste mês o Programa Brasileiro de Acessibilidade Urbana - Brasil Acessível.

Hoje, o ministério promoveu em São Paulo a segunda rodada de debates sobre o programa, para recolher sugestões de prefeituras de diferentes estados, organizações não governamentais e sindicatos da construção civil. Serão cinco debates em diferentes regiões do país. Segundo o secretário do Departamento de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Renato Boareto, o objetivo do projeto é “disponibilizar ferramentas para que os estados e municípios implementem políticas de acessibilidade”.

O programa será realizado em três fases. Na primeira, o ministério fornecerá informações sobre capacitação de funcionários e adaptações do sistema de transporte coletivo. Em seguida, será elaborado um plano detalhado de como se pode melhor a acessibilidade na cidade. A última etapa é a reforma e construção das propostas. “Nessa etapa, o ministério poderá ajudar com o financiamento”, declarou Boareto.

A preocupação com a acessibilidade é nova no país. As primeiras ações nesse sentido foram alterações em algumas linhas de ônibus feitas há cerca de 11 anos. O programa do ministério foi elaborado a partir de experiências que já existiam em algumas cidades como São Paulo, onde há oito anos existe uma Comissão Permanente de Acessibilidade (CPA). Um de seus objetivos é que as prefeituras incorporem o conceito de acessibilidade, evitando construir obstáculos nos novos projetos. As próximas reuniões serão em Recife (2/7); Rio de Janeiro (9/7) e Manaus.
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

100 PREVENTIVOS
Coronavírus: máscaras descartáveis e álcool em gel já estão em falta nas farmácias do Rio
ASSASSINATO
Homem é morto com tijoladas na cabeça em briga
FÁTIMA DO SUL - SEXTA DO PEIXE
Hoje tem SEXTA DO PEIXE com Pacu Vivo a R$ 9,90 no Mercado Julifran em Fátima do Sul
TECNOLOGIA
Aparelhos que tornarão a sua vida inteligente
FÉ E CAUTELA
Coronavírus altera missas pelo País, abraços estão suspensos
MEGA SENA
Mega-Sena: 2 apostas dividem prêmio histórico de R$ 211,6 mi; veja números
FÁTIMA DO SUL - DECLARAÇÃO
Fátima do Sul: 2,6 mil contribuintes prestarão contas ao Leão! Saiba se você precisa e como declarar
FAMOSIDADES
Anitta não suporta calor de quase 50º C e abandona palco
NATALIDADE
Grávida de gêmeos entra em trabalho de parto; um nasce na calçada e outro no hospital
ALTA DO DOLAR
Dólar dispara a R$ 4,50, e Bolsa volta a cair por coronavírus e briga Bolsonaro x Congresso