Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 19 de novembro de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Ministério da Saúde vai intervir em plano de saúde

13 Jul 2004 - 07h00
O Ministério da Saúde não vai permitir abusos nos reajustes anuais das operadoras de planos de saúde. O anúncio foi feito hoje pelo Ministro da Saúde, Humberto Costa, durante entrevista coletiva no Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães, na capital pernambucana.

De acordo com o ministro Humberto Costa, a operadora que infringir a lei poderá ser autuada, multada em valores que variam de R$ 50 mil a R$ 1 milhão ou até sofrer intervenção técnica e fiscal. “Se estes reajustes não estão na previsão dos contratos ou retroagirem no tempo para antes de 2003, o governo vai intervir, inclusive com medidas judiciais para evitar que as pessoas sejam prejudicadas com ações ilegais”, destacou.

Caso os contratos anteriores a 1998 não definirem claramente o índice de reajuste anual, a Agencia Nacional de Saúde Suplementar (ANS) entende que o percentual a ser aplicado é de 11,75%. O ministro recomendou aos usuários que receberem cobranças com percentuais indevidos a procurar a ANS por meio do telefone 0800 70 196 56.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOENÇA TERRIVEL
'Que pena não ter realizado seu sonho, ver eu me formar', diz filha de Reinaldo, o príncipe do pagod
QUEM SERÁ?
Adriano Imperador leva loira de 22 anos, seu novo affair, para conhecer a família
FUTEBOL
Brasil faz três na Coreia do Sul e encerra jejum de vitórias
VÍDEO - ASSUSTADOR
VÍDEO: homem desmaia em trilho e deixa passageiros desesperados
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
O Boticário oferece mais de 400 produtos com até 60% de desconto na Black Week em Fátima do Sul
NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Camilo tenta estuprar Vivi e morre
ABSURDO
Mulher usa o filho de um ano para entrar em presídio com celular
100 EDUCAÇÃO
Quem sabe xinga ao vivo: Faustão chama funcionário de imbecil no ar
ACIDENTE AÉREO FATAL
Médico, filha e piloto são os mortos da queda de avião. Esposa está em estado gravíssimo
TRAGÉDIA AÉREA
Tragédia matou Marcela e Maysa, filhas do homem que abriu a comunicação de MS