Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 19 de abril de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Microempresários terão mais apoio para exportar

23 Out 2004 - 07h56
O secretário de Comércio Exterior do Ministério de Desenvolvimento, Ivan Ramalho, disse que os principais focos do governo no comércio exterior são a diversificação de mercados de destino, a ampliação de produtos na pauta exportadora e o aumento do número de exportadores. Segundo ele, as micro e pequenas empresas têm papel fundamental nesses objetivos, que, alcançados, gerarão mais emprego e renda e darão mais flexibilidade às contas externas do país.

- Só assim é possível aumentar as exportações - afirmou.

Ramalho disse que o potencial de crescimento do número de empresas desse segmento na exportação é "muito grande". Segundo ele, este ano a participação do número de micro e pequenos na base exportadora brasileira ficará acima dos 75% registrados até o fim de 2003. Ramalho disse que até setembro 1.200 empresas debutaram na exportação, sendo que as pequenas respondem pela maior parte delas.

O secretário afirmou ainda que existem quatro milhões de empresas registradas no país e que apenas 18 mil delas exportam, sendo oito mil do Estado de São Paulo. O secretário ressaltou a importância de se diminuir essa concentração, lembrando um programa lançado neste ano para estados que ainda exportam menos que US$ 100 milhões.

No caso do Distrito Federal, disse que o governo foi positivamente surpreendido pelo fato de 20 dos 50 produtos exportados serem novos na pauta.

Ramalho lembrou também que as grandes empresas, que vão continuar respondendo pelo crescimento das exportações em termos de volume, já estão no mercado.

Um ponto importante para a diversificação de mercados, segundo ele, são os acordos comerciais. Graças a isso, disse, as exportações para a Argentina passaram de US$ 1,6 bilhão em 2002, para US$ 5,3 bilhões em igual período deste ano.

Além disso, ele afirmou que com os acordos o Brasil conseguiu diminuir a dependência dos Estados Unidos, que adquire "apenas" 20,9% das vendas externas brasileiras. Junto com a União Européia, o percentual aumenta para 46%.

Um fator que o secretário considera como muito importante é o crescimento das exportações de manufaturados, cujo preço é mais estável no mercado internacional. Ramalho acredita que a instabilidade de preços de produtos como o minério de ferro, da qual o Brasil se beneficiou, vai acabar um dia e que éimportante estar prevenido. Hoje, os manufaturados já respondem por 53% dos itens exportados.
 
 
Globo Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA PARALISAÇÃO
Ala dividida de caminhoneiros falam em greve no próximo dia 29 em todo o Brasil
CAMPO BELO RESORT - PARAÍSO É AQUI
Com noite Árabe e Italiana, PACOTE do dia 03 a 05 de maio já disponível para o Campo Belo Resort
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
Menino de 12 anos foge de casa, burla esquema de segurança e embarca em avião
DEU RUIM
Vítima reage e mata assaltante que tentava roubar camioneta em Toledo – ASSISTA VÍDEO
PAI MONSTRO
Pai é preso suspeito de estuprar e engravidar a filha de 11 anos
15 METROS DE ALTURA
MILAGRE – Menina de um ano que caiu do 4º andar de prédio não sofreu nenhuma fratura
ACIDENTE NA ESCOLA
Criança de 7 anos tem ferimentos graves após trave de futebol cair em sua cabeça em escola
ESTUPRO
Grávida de 20 anos foi estuprada ao pegar carona. Tarado filmou a ação
ACERTO DE CONTAS
Homem é morto a facadas e tem cadeado colocado na boca
POLEMICA
Funcionária de creche chamada de 'vadia' em faixa exposta em praça de MG recebe apoio