Menu
SADER_FULL
sexta, 17 de agosto de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Mensalidade escolar deve subir 10% em 2005 em SP

13 Out 2004 - 14h52
Além dos aumentos das tarifas de água, telefone e luz, pais de alunos que estudam em escolas particulares em São Paulo já podem preparar o bolso para o reajuste das mensalidades no próximo ano. Segundo estimativas do Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo), os valores não devem ficar abaixo de 10% na capital paulista. No Estado, em média, o reajuste ficará entre 7% e 8% em 2005.

De acordo com o sindicato, este ano as escolas vão incluir na planilha de custos o aumento extra dos salários dos professores. Eles conseguiram o benefício de 16,42% depois que entraram com recurso no TRT (Tribunal Regional do Trabalho), referente ao dissídio coletivo de março do ano passado, quando o reajuste foi de apenas 5,05%. Somado a isso, há o aumento real de 2005, que deve ser conhecido em fevereiro, já que a data-base da categoria é março.

Além das escolas da capital, a diferença autorizada pelo TRT deverá ser paga nas escolas do ABC paulista, Santos, Campinas e região, São José dos Campos, São José do Rio Preto e Jaú. Em algumas delas o valor foi parcelado, após acordos com os docentes, e já começou a ser pago.

"O gasto das escolas com a folha de pagamento, incluindo professores e funcionários, corresponde de 60% a 70% do total da planilha de custos. Sem dúvida, é um dos itens que mais pesa na hora do reajuste da mensalidade", afirma o presidente do Sieeesp, José Augusto de Mattos Lourenço.

Os estabelecimentos de ensino também levam em consideração na hora do cálculo os investimentos em infra-estrutura, tecnologia e pedagogia, a queda ou aumento do número de matrículas e a inflação do período. "Cada escola tem suas particularidades e não há uma previsão unificada de custos", continua.

O Sieeesp recomenda que os colégios usem como base para o cálculo da inflação o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), do IBGE; o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), da Fipe; e o ICV (Índice do Custo de Vida) do Dieese. "Esses índices apontam [inflação] média de 7% a 8%. Somando o aumento salarial definido pelo TRT, não estão descartados reajustes maiores do que 10% em algumas regiões", diz Lourenço.

Lei

A legislação determina que as escolas divulguem a proposta de contrato para o ano letivo de 2005, incluído aí o preço das mensalidades, até 45 dias antes do início das aulas. No entanto, segundo o presidente do sindicato, é comum os colégios divulgarem suas planilhas de custos entre novembro e dezembro.

Após essa divulgação, as escolas costumam exigir uma reserva de matrícula, que é paga e deve ser abatida da primeira mensalidade, como exige o Procon. "No caso de desistência do aluno, a taxa é sempre devolvida depois de um período estabelecido [pelas escolas]", explica Lourenço.

Inadimplência

A estimativa de inadimplência para este ano é de 11,3%. "Em 2003, a inadimplência chegou a 19%", afirma o presidente do Sieeesp. Para ele, a estabilidade econômica e a disposição das escolas de abrir o leque nas negociações, propondo mais opções na forma de parcelamento de mensalidades atrasadas, por exemplo, permitiram tal redução.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME PASSIONAL
Marido flagra esposa com suposto amante e caso termina em morte
NOVELA GLOBAL
Remy pode não ter morrido em 'Segundo sol'; veja os indícios
TECNOLOGIA
Segunda via do RG pode ser solicitada pela internet
BOA AÇÃO
Empresário curado faz doação milionária para hospital público
VIOLENCIA
Homem desce do carro e mata mulher com tiro a queima roupa
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta confessa que matou Remy; Karola foi cúmplice
PRESO EM 2010
Morre o homem apontado como maior contrabandista de cigarros do País
ELEIÇÕES 2018 - REGISTRO FEITO
AGORA: PT registra candidatura de Lula e tem até 17 de setembro para trocar candidato
BRIGA DE FAMILIA
Briga de irmãos termina com faca cravada na cabeça de jovem adolescente
NOVELA GLOBAL
Em 'Segundo sol', Zefa rompe com Severo: 'Você não merece nada de bom de mim!'