Menu
PASSARELA
domingo, 24 de junho de 2018
SADER_FULL
Busca
DR. SHAPE
Brasil

Média das exportações em setembro foi a maior do ano

6 Set 2004 - 17h01
As exportações superaram as importações em US$ 551 milhões na primeira semana de setembro, registrando a maior média diária exportada do ano, no valor de US$ 458,7 milhões. Em apenas três dias úteis, as vendas externas brasileiras atingiram US$ 1,376 bilhão, montante 38,6% superior ao apurado em setembro de 2003. As importações, que totalizaram US$ 825 milhões, tiveram média diária de US$ 275 milhões e um crescimento de 31,1% frente ao mesmo mês do ano passado. Com o resultado semanal, há um superávit acumulado no ano de US$ 22,502 bilhões.

- Os números da balança comercial brasileira estão ótimos, tanto do ponto de vista das exportações como das importações. Só esperamos que os dois cenários se mantenham em 2005 - afirmou o vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro.

Para Castro, o aumento das importações significa que o crescimento da economia está, de fato, consolidando-se. Quanto às exportações, o vice-presidente da AEB acredita que os empresários brasileiros descobriram de vez o mercado internacional.

- As pessoas não se dão conta que um superávit comercial de US$ 33 bilhões para este ano corresponde a cerca de R$ 100 bilhões líquidos e extras que serão jogados na economia - destacou Castro.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, houve crescimento das três categorias de produtos na pauta de exportação: manufaturados (56,2%), semimanufaturados (30,1%) e básicos (15,1%). O Brasil vendeu mais, principalmente, aviões, laminados planos, açúcar refinado, óxidos e hidróxidos de alumínio, óleo de soja refinado, álcool etílico, obras de marcenaria, tubos de ferro fundido, tratores, calçados, móveis, máquinas e aparelhos para terraplanagem, couros e peles, algodão, fumo em folhas e carnes em geral. Em relação ao mês anterior, as vendas externas subiram 11,4%.

Nas importações, ampliaram-se os gastos com químicos orgânicos e inorgânicos (103,3%), filamentos e fibras sintéticas ou artificiais (80,7%), aeronaves e peças (76,3%), produtos farmacêuticos (65,3%), instrumentos de ótica e precisão (50,6%), plásticos e obras (40,5%), equipamentos elétricos e eletrônicos (27,9%), veículos e partes (27,4%) e adubos e fertilizantes (26,4%). Frente a agosto, as compras externas aumentaram 7,6%.
 
O GLOBO

Deixe seu Comentário

Leia Também

GOVENO NÃO CUMPRE
Caminhoneiros anunciam nova paralisação, mas trabalhadores de MS não devem participar
RAIVA HUMANA
Morte de turista por raiva humana é confirmada em Ubatuba
NOVELA GLOBAL
Valentim sofre grave acidente de carro
INACEITAVEL
Mãe de jovem morto no Rio: “É um Estado doente que mata criança com roupa de escola”
HAJA CORAÇÃO
Neymar é o autor do gol mais tardio, em tempo normal, de uma Copa na história
COPA DO MUNDO
No sufoco, Brasil supera a Costa Rica e consegue primeira vitória na Copa do Mundo
NOVELA GLOBAL
Segundo Sol: Rosa coloca fim em relação com Ícaro e ele toma atitude
SAUDE
Mulher dá a luz em calçada no Cajuru
FAMOSIDADES
Ex-apresentadora do ‘Vídeo show’, Alinne Prado sofre assalto a mão armada dentro de casa
RELIGIÃO
Padre é flagrado dando tapa em criança durante batismo