Menu
SADER_FULL
segunda, 17 de junho de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

MEC investiga universidade por suspeita de cobrança indevida no Fies

18 Ago 2010 - 18h17Por G1

A Secretaria de Educação Superior (Sesu) do Ministério da Educação abriu processo administrativo contra a Universidade Anhembi Morumbi, localizada em São Paulo, para apurar denúncia de cobrança de mensalidade de uma aluna de medicina beneficiada com 100% de bolsa pelo Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). A portaria foi publicada nesta quarta-feira (18) no Diário Oficial da União.

O MEC determinou ainda, em despacho da secretária de Educação Superior, Maria Paula Dallari Bucci, que a universidade matricule a estudante no segundo semestre deste ano, “garantindo à aluna pleno acesso às aulas e demais atividades regulares do referido curso”.

O despacho da secretária afirma que “o impedimento da matrícula da estudante no segundo semestre de 2010 pode acarretar grave prejuízo ao seu aprendizado e à continuidade regular de sua graduação”.

Se a denúncia for comprovada, as penalidades previstas são ressarcimento dos valores à estudante e ao fundo e a suspensão, por período a ser definido, da renovação do contrato com o Fies. A universidade tem dez dias para se manifestar após receber a notificação sobre a abertura do processo administrativo.

Em comunicado enviado ao G1, a Universidade Anhembi Morumbi afirmou que a inclusão da aluna no Fies foi postergada porque ela não obteve aproveitamento acadêmico para renovação do benefício nos prazos determinados. Ainda segundo a universidade, a aluna foi aprovada após revisão de nota.

Veja a íntegra da nota da universidade:
"Em relação à publicação do Diário Oficial referente à cobrança de mensalidade indevida da aluna inscrita no FIES 2010, a Universidade Anhembi Morumbi esclarece:
1) A aluna em questão teve seu processo de inclusão do FIES deste semestre postergado por não ter obtido o aproveitamento acadêmico necessário para renovação do benefício nos prazos determinados. As normativas vigentes concedem aos alunos o direito de solicitar revisão de nota. Conforme solicitação da aluna, a universidade realizou o procedimento e após a revisão da nota a aluna foi aprovada;
2) A aluna, inclusive, havia sido informada pela Universidade sobre sua aprovação e seu processo de matrícula, bem como a inclusão no contrato do FIES 2010, estavam em processo de formalização."

Irregularidades
Na primeira semana de agosto, o MEC abriu processos administrativos contra 11 universidades para apurar possíveis irregularidades no Fies. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União nos dias 4 e 6 de agosto.

Segundo a Sesu, que investiga o caso, estudantes beneficiados pelo financiamento denunciaram as universidades por não repassarem o desconto coletivo concedido a todo aluno que paga a mensalidade antes do prazo. Era cobrado o valor cheio de quem tinha Fies. A legislação do financiamento prevê que esse tipo de desconto tem de ser repassado aos beneficiados pelo fundo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
Marido da deputada é morto a tiros
MULHER DO PRESIDENTE
Esposa de Jair Bolsonaro cai na internet, fotos íntimas são exibidas e todos ficam sem acreditar
DOURADOS - MANIFESTAÇÕES
Dono da Havan manda 'recado' a manifestantes após protesto em frente a loja de Dourados
VENENOSA
Agricultor é picado por cobra jararaca
FORÇA DE VONTADE
Advogado que pedia emprego na rua é contratado e ganha pós-graduação
CASO DE POLÍCIA
Filho mata a mãe e rouba seu cartão para comprar cocaína
EQUIPARADO AO RACISMO
Agora Homofobia é crime, STF criminaliza
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos com depressão comete suicídio e choca cidade
REVOLTANTE
Filho é preso por ficar com aposentadoria e manter pais idosos morando em situação de miséria
BARBÁRIE
Nus e amarrados, corpos de três jovens são encontrados mortos em matagal