Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Maus hábitos desperdiçam 40% de água tratada

7 Ago 2007 - 13h23

O desperdício é um dos maiores responsáveis pela perda da água tratada por empresas de saneamento básico no Brasil. Somado a isso tem-se a perda gerada pela infiltração de poluentes (geralmente provocada pelos chamados gatos, ligações clandestinas), correspondente a cerca de 40% de toda a água saneada. O País armazena 14% de toda a água do planeta, mas 80% das fontes estão concentradas na Região Norte, onde há a menor taxa de ocupação urbana. As metrópoles são prejudicadas com a falta de bacias de rios.

Na Grande São Paulo, onde hoje vivem 18 milhões de pessoas, menos de 10% do abastecimento provém de fontes locais. Com o comprometimento da represa Billings pelo alto índice de poluição, foi preciso recorrer a outras fontes de água para reforçar o fornecimento de Guarapiranga, onde há uma ocupação irregular de cerca de 100 mil pessoas. Para suprir a demanda, São Paulo capta água em Piracicaba, a quase 200 quilômetros de distância, e até mesmo fora do Estado, como de Minas Gerais.

De acordo com o superintendente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), Luis Carlos Neto Aversa, cada vez que se escova os dentes, deixando a torneira aberta, há a perda de 12 litros de água tratada, limpa e fluoretada. Um banho demorado desperdiça 50 litros de água. Lavar a louça com a torneira aberta, 120 litros. Lavar a roupa com a torneira do tanque aberta, 300 litros. Outros hábitos que já deveriam ter sido banidos: regar plantas com uma mangueira (180 litros) em vez de um regador, ou lavar a calçada com mangueira (280 litros), em lugar de apenas varrer ou usar um balde.

"Cada vez que a descarga é acionada, são utilizados 18 litros de água. Pensando no racionamento de água, o governo de Nova York fez uma campanha para que os moradores trocassem a descarga antiga por um novo modelo, que libera de cinco a oito litros quando ativada. E pagou US$ 100 a quem fez a substituição", conta Aversa.

O reuso da água já vem sendo feito pela Sabesp, que está começa a oferecer estações de tratamento de esgoto. A água limpa proveniente das bacias custa em torno de R$ 10 o metro cúbico (equivalente a mil litros). Já a reutilizada sai por R$ 1.

O descaso com o uso irracional da água ocorre, segundo o superintendente, porque a conta de luz, sempre pesou muito mais no bolso que a conta de água. "Muitos de nós crescemos ouvindo os pais perguntarem se pensávamos que eles eram sócios da Light (empresa que durante o século 20 dominou o mercado de distribuição de energia elétrica no Brasil), mas nunca da Sabesp. No entanto, a água é um recurso natural finito, e se não fizermos nada agora, será uma catástrofe anunciada, que está muito perto de nós", alerta.

 

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos