Menu
LIMIT ACADEMIA
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Maior oferta pressiona preço do açucar e álcool para baixo

14 Jun 2007 - 09h28
Os preços do açúcar cristal caíram fortemente em maio no mercado paulista, resultado do aumento da produção das usinas já existentes e das novas unidades que entraram em atividade na safra atual.

O Indicadro CEPEA/ESALQ teve média mensal de R$ 28,56/saca de 50kg, recuo de 15,7% em relação à média de abril.

De acordo com levantamentos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de cana-de-açúcar na safra 2007/08 é estimada em 528 milhões de toneladas, crescimento de cerca de 11% sobre a safra 2006/07. A área total é de 6,62 milhões de hectares, acréscimo de 7,4% sobre a safra passada. Do total de cana produzida, 468,2 milhões de toneladas terão como destino a produção sucroalcooleira, divididas em 231,6 milhões de toneladas para açúcar e 236,6 milhões para álcool; o restante será para outros fins, como cachaça e alimentação animal.

A produção de açúcar deve chegar a 31,3 milhões de toneladas, aumento de 3,6% sobre safra anterior; a de álcool deve atingir 20,01 bilhões de litros, volume 14,54% superior - sendo 9,35 bilhões para anidro e 10,6 bilhões para hidratado.

Quanto ao andamento da safra 2007/08, até meados de maio, a região Centro-Sul contava com 274 usinas em operação, quase 80% do total de unidades, das quais 19 são unidades novas, segundo o último levantamento da União da Agroindústria Canavieira (Unica).

Até 16 de maio, foram moídas 43,46 milhões de toneladas de cana na região Centro-Sul, 2,8% a mais que no mesmo período da safra passada, das quais 27,97 milhões de toneladas foram em São Paulo. O valor do Açúcar Total Recuperável (ATR) foi de 122,2 kg/t de cana moída.

No mercado internacional, a Organização Internacional de Açúcar (OIA) estimou em novo balanço que o excedente mundial de açúcar da safra 2006/07 será de 9,1 milhões de toneladas, com a oferta mundial passando de 160,2 milhões para 162,62 milhões de toneladas de açúcar.

As exportações de açúcar do Brasil na quarta semana de maio, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), apontaram média diária de US$ 15,37 milhões FOB, acumulando em maio média de US$ 14,82 milhões –queda de 11% sobre a média diária de abril (US$ 16,65 milhões).


Álcool e a queda de 17,6%

Para o álcool, o Indicador CEPEA/ESALQ do anidro (estado de São Paulo) teve queda de 17,6% em relação a abril, com média de R$ 0,88378/litro (sem impostos) em maio. Para o hidratado, a baixa foi maior: de 26,5% no período, com média de R$ 0,69084/litro.

As relações entre os preços dos álcoois e do açúcar mostraram que, em média, o anidro negociado no mercado interno remunerou 6% mais que o açúcar e o açúcar remunerou 13% mais que o hidratado em maio. Considerando os dois tipos de álcool, o anidro remunerou, em média, cerca de 21% mais que o hidratado.

O preço do álcool anidro combustível recebido pelo produtor representou 8,66% do preço da gasolina C vendida ao varejo em maio, no estado de São Paulo.

As vendas de açúcar no mercado doméstico e externo estiveram remunerando praticamente o mesmo em maio (considerando-se: o valor médio do Indicador CEPEA/ESALQ, o vencimento Agosto/07 na Bolsa de Londres (Liffe), um desconto de qualidade estimado em US$ 39,00/t, e custos com elevação e frete de US$ 48,40/t).

Nos estados de Pernambuco e Alagoas, as cotações do açúcar foram pressionadas pela safra de São Paulo e pela fraca demanda. Os preços do álcool também caíram nesses estados.

Em Pernambuco, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado teve média de R$ 0,90889/litro, baixa de 1,63% em relação ao mês passado. Para o anidro, o Indicador foi de R$ 1,02767/litro, queda de 1,09% (Tabela 2). Para o açúcar, o valor mensal foi de R$ 37,66 saca de 50kg, queda de 4,33% em relação a abril (Tabela 1).

Em Alagoas, os Indicadores foram de R$ 1,04166/litro (com impostos) para o anidro e de R$ 0,92180/litro (com impostos, exceto ICMS) para o hidratado, baixas de 1,36% e de 4,68%, respectivamente, sobre o mês anterior. Para o açúcar, a média mensal foi de R$ 37,87/sc de 50kg, queda de 6,6% sobre o mês passado.

Na Bolsa de Mercadoria e Futuros do Estado de São Paulo (BM&F), no último dia de pregão (31/05/07), foram negociados contratos relativos aos vencimentos Julho/07 e Setembro/07 para o açúcar, com altas acumuladas, entre 30/04 e 31/05 de 2,71% e 1,24%, respectivamente. Para o álcool, o vencimento em aberto, no mesmo período, foi Dezembro/07, com queda de 9,88%.


Preços de ajustes para os contratos futuros de AÇÚCAR (US$/sc 50kg)

Vencimento Em 31/05/07 Em 30/04/07
Jul/07
12,12
11,80

Set/07
12,25
12,10

Fonte: BM&F



Preços de ajustes para os contratos futuros de ÁLCOOL (R$/metro cúbico)

Vencimento Em 31/05/07 Em 30/04/07
Dez/07
730,00
810,00

Fonte: BM&F



Cepea/Esalq - Pesquisadoras responsáveis: Heloisa Lee Burnquist,

Mirian Rumenos Piedade Bacchi,

Marta Cristina Marjotta-Maistro,

Ivelise Rasera Bragato,

Mariana Pessini e

Marianne Shiguematsu.

cepea@esalq.usp.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação