Menu
LIMIT ACADEMIA
quinta, 15 de novembro de 2018
SADER_FULL
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Maior oferta pressiona preço do açucar e álcool para baixo

14 Jun 2007 - 09h28
Os preços do açúcar cristal caíram fortemente em maio no mercado paulista, resultado do aumento da produção das usinas já existentes e das novas unidades que entraram em atividade na safra atual.

O Indicadro CEPEA/ESALQ teve média mensal de R$ 28,56/saca de 50kg, recuo de 15,7% em relação à média de abril.

De acordo com levantamentos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de cana-de-açúcar na safra 2007/08 é estimada em 528 milhões de toneladas, crescimento de cerca de 11% sobre a safra 2006/07. A área total é de 6,62 milhões de hectares, acréscimo de 7,4% sobre a safra passada. Do total de cana produzida, 468,2 milhões de toneladas terão como destino a produção sucroalcooleira, divididas em 231,6 milhões de toneladas para açúcar e 236,6 milhões para álcool; o restante será para outros fins, como cachaça e alimentação animal.

A produção de açúcar deve chegar a 31,3 milhões de toneladas, aumento de 3,6% sobre safra anterior; a de álcool deve atingir 20,01 bilhões de litros, volume 14,54% superior - sendo 9,35 bilhões para anidro e 10,6 bilhões para hidratado.

Quanto ao andamento da safra 2007/08, até meados de maio, a região Centro-Sul contava com 274 usinas em operação, quase 80% do total de unidades, das quais 19 são unidades novas, segundo o último levantamento da União da Agroindústria Canavieira (Unica).

Até 16 de maio, foram moídas 43,46 milhões de toneladas de cana na região Centro-Sul, 2,8% a mais que no mesmo período da safra passada, das quais 27,97 milhões de toneladas foram em São Paulo. O valor do Açúcar Total Recuperável (ATR) foi de 122,2 kg/t de cana moída.

No mercado internacional, a Organização Internacional de Açúcar (OIA) estimou em novo balanço que o excedente mundial de açúcar da safra 2006/07 será de 9,1 milhões de toneladas, com a oferta mundial passando de 160,2 milhões para 162,62 milhões de toneladas de açúcar.

As exportações de açúcar do Brasil na quarta semana de maio, segundo a Secretaria de Comércio Exterior (Secex), apontaram média diária de US$ 15,37 milhões FOB, acumulando em maio média de US$ 14,82 milhões –queda de 11% sobre a média diária de abril (US$ 16,65 milhões).


Álcool e a queda de 17,6%

Para o álcool, o Indicador CEPEA/ESALQ do anidro (estado de São Paulo) teve queda de 17,6% em relação a abril, com média de R$ 0,88378/litro (sem impostos) em maio. Para o hidratado, a baixa foi maior: de 26,5% no período, com média de R$ 0,69084/litro.

As relações entre os preços dos álcoois e do açúcar mostraram que, em média, o anidro negociado no mercado interno remunerou 6% mais que o açúcar e o açúcar remunerou 13% mais que o hidratado em maio. Considerando os dois tipos de álcool, o anidro remunerou, em média, cerca de 21% mais que o hidratado.

O preço do álcool anidro combustível recebido pelo produtor representou 8,66% do preço da gasolina C vendida ao varejo em maio, no estado de São Paulo.

As vendas de açúcar no mercado doméstico e externo estiveram remunerando praticamente o mesmo em maio (considerando-se: o valor médio do Indicador CEPEA/ESALQ, o vencimento Agosto/07 na Bolsa de Londres (Liffe), um desconto de qualidade estimado em US$ 39,00/t, e custos com elevação e frete de US$ 48,40/t).

Nos estados de Pernambuco e Alagoas, as cotações do açúcar foram pressionadas pela safra de São Paulo e pela fraca demanda. Os preços do álcool também caíram nesses estados.

Em Pernambuco, o Indicador CEPEA/ESALQ do hidratado teve média de R$ 0,90889/litro, baixa de 1,63% em relação ao mês passado. Para o anidro, o Indicador foi de R$ 1,02767/litro, queda de 1,09% (Tabela 2). Para o açúcar, o valor mensal foi de R$ 37,66 saca de 50kg, queda de 4,33% em relação a abril (Tabela 1).

Em Alagoas, os Indicadores foram de R$ 1,04166/litro (com impostos) para o anidro e de R$ 0,92180/litro (com impostos, exceto ICMS) para o hidratado, baixas de 1,36% e de 4,68%, respectivamente, sobre o mês anterior. Para o açúcar, a média mensal foi de R$ 37,87/sc de 50kg, queda de 6,6% sobre o mês passado.

Na Bolsa de Mercadoria e Futuros do Estado de São Paulo (BM&F), no último dia de pregão (31/05/07), foram negociados contratos relativos aos vencimentos Julho/07 e Setembro/07 para o açúcar, com altas acumuladas, entre 30/04 e 31/05 de 2,71% e 1,24%, respectivamente. Para o álcool, o vencimento em aberto, no mesmo período, foi Dezembro/07, com queda de 9,88%.


Preços de ajustes para os contratos futuros de AÇÚCAR (US$/sc 50kg)

Vencimento Em 31/05/07 Em 30/04/07
Jul/07
12,12
11,80

Set/07
12,25
12,10

Fonte: BM&F



Preços de ajustes para os contratos futuros de ÁLCOOL (R$/metro cúbico)

Vencimento Em 31/05/07 Em 30/04/07
Dez/07
730,00
810,00

Fonte: BM&F



Cepea/Esalq - Pesquisadoras responsáveis: Heloisa Lee Burnquist,

Mirian Rumenos Piedade Bacchi,

Marta Cristina Marjotta-Maistro,

Ivelise Rasera Bragato,

Mariana Pessini e

Marianne Shiguematsu.

cepea@esalq.usp.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

ENCONTRO DE GOVERNADORES
Em encontro de governadores com Bolsonaro, Reinaldo defende fronteira e reajuste da tabela SUS
VIOLENCIA DOMESTICA
Homem é esfaqueado por esposa que tem ciumes até da sombra
ENTROU ATIRANDO
VÍDEO: Pastor é baleado no altar durante o culto
TRAGEDIA
Ex-prefeito é morto pelo pai após ser confundido com assaltante
ACIDENTE DE TRANSITO
Caminhão passa por cima de veículos e explode em grave acidente
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Marilda (Letícia Spiller) é flagrada nua e finge ser uma assombração
BNDS
“Se não abrir a caixa preta do BNDES, está fora!”, diz Bolsonaro sobre Levy
FAMOSIDADES
Susana Vieira está com leucemia, mas a doença está controlado, diz assessoria
NOVELA GLOBAL
Marina Ruy Barbosa é a heroína de 'O sétimo guardião': 'Luz foge do tradicional'
CONSTRANGIMENTO
Claudia Leitte quebra silêncio e desabafa sobre polêmica com Silvio Santos