Menu
SADER_FULL
quarta, 17 de outubro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Mãe teria matado e enterrado recém-nascido em São Paulo

14 Mar 2007 - 17h27

 

A dona de casa Elda Barbosa, 33 anos, residente no bairro Potiguara, no município de Panorama (SP), foi presa na noite de ontem, acusada por ocultação de cadáver e suspeita por crime de homicídio. Segundo a polícia, ela teria dado à luz, matado e enterrado a criança. Após ter enterrado o filho, cães teriam cavado e retirado o cadáver da cova.
De acordo com o delegado Alexandre Luís Luengo Lopes, a Polícia Civil foi informada pelo Conselho Tutelar do município que a mulher teria dado à luz a criança, mas o recém-nascido estaria desaparecido.

"A mãe foi questionada e, em uma primeira resposta, afirmou que a criança ainda não havia nascido. Para desfazer a dúvida, a levamos para uma consulta médica. Ficou constatado que a criança já havia nascido, o que tornou falsa a sua primeira versão", afirmou o delegado.

Segundo Lopes, em novo interrogatório, Elda confessou que havia dado à luz um menino em sua própria casa, e que o parto ocorreu no dia 8 de março. A mulher também disse que "o nenê chorou muito quando nasceu e sofreu muito antes de morrer". A mulher acabou apontando o local, nos fundos do quintal, onde havia enterrado o corpo da criança.

"Ela ainda explicou que, após ter enterrado o corpo, os cães cavaram e retiraram o corpo da criança da cova rasa. Então a mãe ateou fogo nos restos mortais e voltou a enterrar no mesmo local", afirmou o delegado.

Policiais foram até a residência de Elda, onde a mulher apontou o local onde havia enterrado o corpo. Os investigadores cavaram e encontraram os restos.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar os fatos e foi solicitada a prisão temporária de Elda. Ela foi presa ontem e está recolhida na cadeia pública feminina de Tupi Paulista (SP).

Elda será submetida a exame de sanidade mental. Seus familiares também serão interrogados. A polícia aguarda a conclusão do laudo necroscópico, realizado ontem à noite pelo Instituto Médico Legal de Dracena.

A mãe está sendo investigada por crime de homicídio e ocultação de cadáver. A lei prevê que caso a mulher tenha agido sob influência do estado puerperal, ela responderá por delito de infanticídio, com pena reduzida em relação ao homicídio.

 

 

Terra

Deixe seu Comentário

Leia Também

LUTO NO JORNALISMO
Morre Gil Gomes, jornalista policial, aos 78 anos, em São Paulo
SELEÇÃO BRASILEIRA
Brasil vence a Argentina com gol de Miranda nos acréscimos e conquista o Superclássico
HORARIO DE VERÃO
Início do horário de verão não será adiado, informa o Planalto
IBOPE PARA PRESIDENTE
Ibope para presidente, votos válidos: Bolsonaro, 59%; Haddad, 41%
ASSASSINATO
Rapaz agride avós de adolescente que não quis namorar com ele; avó morreu
TRAGEDIA NA RODOVIA
Carro ocupado por sete pessoas se envolve em acidente; cinco morreram
REVOLTANTE
Menina de 11 anos é estuprada por detento ao visitar irmão em presídio
ACIDENTE FATAL
Douradense morre em acidente no RS
REALITY SHOW
A Fazenda 10: Ana Paula é eliminada e se manifesta contra Bolsonaro
FACÇÃO CRIMINOSA
Decapitada por Satã do PCC, jovem morreu por exigir respeito após roubo de chinelo