Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
segunda, 21 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Lula tem 10 dias para explicar venda das refinarias da Petrobras

1 Jun 2007 - 04h11

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem um prazo de dez dias para enviar ao Supremo Tribunal Federal explicações sobre a venda das duas refinarias da Petrobras para o governo boliviano, por US$ 112 milhões. O pedido foi encaminhado ontem (30) pelo ministro do STF Marco Aurélio Mello, relator do mandado de segurança impetrado pelo líder do PSDB na Câmara, deputado Antonio Carlos Pannunzio (SP). O partido apresentou mandado de segurança pedindo a suspensão do negócio.

Na ação, o líder tucano contesta o que classificou de "omissão" do presidente Lula por não ter comunicado oficialmente ao Congresso Nacional o repasse à Bolívia de direitos, operações e bens (móveis ou imóveis) de titularidade da Petrobras, em território boliviano.

O parlamentar argumenta que, de acordo com o artigo 49 da Constituição Federal, é da competência exclusiva do Congresso Nacional "resolver definitivamente sobre tratados, acordos ou atos internacionais que acarretem encargos ou compromissos gravosos ao patrimônio nacional".

Segundo nota do STF, Pannunzio pede a concessão de liminar para que sejam suspensos os atos ou negócios jurídicos destinados a preparar ou efetivar a transferência de direitos, operações e bens da titularidade da Petrobras ou de pessoa jurídica por ela controlada ou coligada em território boliviano, até que o Congresso possa se manifestar sobre o assunto.

No mérito, pede que seja julgado procedente o pedido para determinar ao presidente da República que encaminhe ao Congresso Nacional os atos firmados com o governo boliviano. A assessoria da Presidência da República disse que não vai comentar a notificação.

No dia 10 de maio, a Petrobras confirmou a transferência do controle das refinarias Gualberto Villaroel, na província de Cochabamba (centro), e Guillermo Elder, em Santa Cruz (leste), para a estatal boliviana YPFB, por US$ 112 milhões.

A estatal brasileira, que pagou US$ 104 milhões pelas refinarias, em 1999, garantiu que não perdeu dinheiro na negociação com os bolivianos.

 
 
 
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos