Menu
RIO_DOURADOS
quarta, 23 de maio de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Lula concede reajuste de 7,7% para aposentados

15 Jun 2010 - 13h39Por Folha Online

Contrariando a equipe econômica do governo, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu nesta terça-feira o reajuste de 7,7% para os aposentados e pensionistas do INSS que ganham acima de um salário mínimo. Lula, no entanto, vetou o fim do fator previdenciário.

A MP (medida provisória) enviada pelo Executivo ao Congresso concedeu o aumento de 6,14%, mas, pressionado por partidos aliados e com medo de uma derrota ainda maior, o governo cedeu e aceitou mudar o índice para 7% --o que corresponde à inflação de 2009 mais dois terços da alta do PIB de 2008.

Os deputados e as categorias de classe, no entanto, não ficaram satisfeitos, e propuseram o índice de 7,7%-- correspondente à inflação do ano passado mais 80% do crescimento do PIB. A proposta de aumento de 7,7% para os aposentados foi aprovada pela Câmara e pelo Senado.

Lula havia sinalizado por diversas vezes que vetaria o reajuste de 7,7%. Ontem, ele disse que não se deixaria levar por "qualquer extravagância".

"Não pensem que eu me deixarei seduzir por qualquer extravagância que alguém queira fazer por conta do processo eleitoral. Minha cabeça não funciona assim. A eleição é uma coisa passageira e o Brasil não jogará fora no século 21 as oportunidades que jogou fora no século 20."

Segundo o presidente, o Brasil vive um momento bom e ele não vai estragá-lo. "Eu acho que esse momento é muito bom e eu não vou estragar. Todo mundo sabe o carinho que eu tenho pelos aposentados brasileiros. Eu vou fazer aquilo que eu achar que é melhor para o Brasil, para os aposentados. Eu não vou estragar minha relação com os aposentados, não vou estragar minha relação com ninguém", disse.

Apesar do superavit primário de R$ 19,8 bilhões em abril, o segundo melhor da história para o mês, os ministros da área econômica afirmaram que o governo não possui recursos para conceder 7,7% de reajuste aos aposentados.

Para o ministro Guido Mantega (Fazenda), o desempenho da economia para o pagamento dos juros é apenas suficiente para que o esforço fiscal alcance a meta para este ano, de 3,3% do PIB (soma dos bens e serviços produzidos pelo país).

"Não está sobrando dinheiro. Nós temos que ser cautelosos com as despesas, então não dá para conceder benefícios adicionais àqueles que já estão estabelecidos", afirmou Mantega.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DESUMANIDADE
Elas ficam até morrer
NOVELA GLOBAL
'Segundo Sol': Luzia marcará programa com Ícaro
APOCALIPSE
Isabela tenta enganar o irmão ao dizer que fugiria com ele, mas Benjamin nota a farsa
A CASA CAIU
Dois militares do Exército são presos em carro com armamento pesado
PANCADARIA
Carinho íntimo em praia acaba em confusão e guarda joga areia em mulher; veja vídeo
DROGAS
Mais de 10 tiros: dupla é assassinada dentro de carro
CONQUISTA ESTÁ VINDO
Governo federal pode 'zerar' tributos de combustíveis após protestos de caminhoneiros
CILADA NA NET
Jovem sai do Maranhão, após bate-papo pela Internet, e é estuprada no Rio
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Beto vê Luzia fugindo da prisão
FAMOSIDADES
Neymar e Marquezine escolhem fornecedores para casamento na França, diz site