Menu
SADER_FULL
terça, 22 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Lucro do Bradesco cresce 25,8% até setembro e supera R$ 2 bi

28 Out 2004 - 17h15
O Bradesco anunciou hoje que registrou lucro líquido de R$ 2,002 bilhões nos primeiros nove meses do ano, 25,8% superior ao de igual período do ano passado. Trata-se do maior resultado obtido pelo banco no período de janeiro a setembro, segundo informações do presidente do grupo, Márcio Cypriano.

No terceiro trimestre o lucro do banco alcançou R$ 752,3 milhões, o que mostra um crescimento de 17,3% em relação ao segundo trimestre de 2004 e avanço de 33% na comparação com igual período do ano passado.

O resultado do terceiro trimestre supera as estimativas feitas por analistas da consultoria Thomson Financial, de lucro próximo a R$ 678 milhões.

O presidente do Bradesco destacou três fatores que tiveram forte contribuição com o desempenho do período: aumento da carteira de crédito, crescimento das receitas de serviços e redução nas despesas com provisões para devedores duvidosos.

Crédito

A carteira de crédito do Bradesco teve expansão de 13,6%, em comparação ao final de setembro de 2003, e totalizou R$ 60 bilhões. Essa expansão foi "puxada", basicamente, pela maior demanda de operações de empréstimos em reais.

No terceiro de trimestre, o crescimento da carteira foi estimulado principalmente por empréstimos à micro, pequenas e médias empresas.

Tarifas

As receitas de prestação de serviços --que inclui ganhos com tarifas-- somaram R$ 4,149 bilhões até setembro, expansão de 26,4% em relação a setembro de 2003. Na comparação trimestral, o avanço foi de 5,8%.

Segundo Cypriano, o crescimento das receitas de serviços é um reflexo do aumento na base de clientes e das operações.

O Bradesco alcançou a marca de 15,3 milhões de correntistas, sendo 14,3 milhões de pessoas físicas e um milhão de jurídicas. Além disso, conta com 32,1 milhões de contas de poupanças.

Devedores duvidosos

As despesas com provisões para devedores duvidosos somaram R$ 1,553 bilhão nos nove primeiros meses deste ano, valor R$ 445 milhões inferior ao de igual período do ano passado.

Houve diminuição também no índice de inadimplência no período, de 5,5% para 4,2%. "A queda na inadimplência ocorreu basicamente devido à maturidade na concessão de crédito", disse Cypriano.

Os ativos do grupo eram de R$ 179,7 bilhões ao final de setembro, 9,3% superior a igual período do ano anterior. O patrimônio líquido somava 14,7 bilhões.

Outros bancos

O Bradesco é o segundo banco privado brasileiro de grande porte a divulgar os números referentes ao terceiro trimestre. O primeiro foi o Santander-Banespa, que lucrou R$ 385,29 milhões de julho a setembro, acumulando R$ 1,251 bilhão nos primeiros nove meses de 2004.

O Itaú divulga resultados no dia 9 de novembro e o Unibanco no dia 11.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai