Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 26 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
AGÊNCIA BONITO THIAGO
Brasil

Londres explica como Zeca do PT gerou dívidas no Fundersul

24 Abr 2007 - 14h38

A utilização de recursos do Tesouro Estadual para complementar o Fundersul (Fundo de Desenvolvimento Rodoviário de Mato Grosso do Sul) e suprir a ausência da cobrança de taxa no setor de combustíveis é uma das causas da dívida com obras executadas herdadas pelo governador André Puccinelli (PMDB). A explicação foi feita hoje pelo deputado Londres Machado (PR), que até o ano passado presidia a Assembléia Legislativa, ao defender o pagamento do débito sob pena de o Estado ter as contas bloqueadas.

“Se o governo vai pagar com dinheiro Fundersul ou do Tesouro, pouco importa. O que importa é que a dívida terá que ser paga, caso contrário implicará no bloqueio das contas do Estado”, disse Londres Machado, incluindo também a dívida com a Petrobras.

O deputado lembrou que no governo de Zeca do PT, a cobrança da taxa de ICMS dos combustíveis para reforçar o Fundersul não foi executada, embora conste da lei que originou o fundo.

“O governador Zeca do PT preferia aplicar no Fundersul R$ 5,5 milhões mensais do Tesouro do que executar a cobrança dos combustíveis. Quando o Estado passou a vivenciar a crise econômica provocada pela febre aftosa, o governo suspendeu a aplicação do dinheiro do Tesouro, mas também não cobrou do setor de combustíveis”, explicou Londres Machado, evidenciando a origem do “rombo” que impediu o pagamento das obras executadas.

“Agora o governador André Puccinelli tem a opção de adotar a cobrança do setor de combustíveis, até porque a lei lhe faculta isso”, defende Londres Machado.

Primeiro-secretário da Assembléia, o deputado Ary Rigo (PDT), também é favorável a este tipo de combrança, ressaltando que uma decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) garante ser constitucional.

Secretário de Infra-Estrutura do governo Zeca do PT, o hoje deputado Paulo Duarte (PT), lembrou que na época em que foi firmado o convênio com a Petrobrás para pavimentação de rodovias em Mato Grosso do Sul a fonte pagadora era exatamente o Tesouro.

“Com o início da crise, alterou-se a fonte pagadora, repassando para o Fundersul. E essa foi uma manobra perfeitamente legal, embasada naquilo que a lei permite”, justificou Duarte.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda