Menu
SADER_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Leia o artigo “OBRIGADO” A UM EX-GOVERNADOR" por Marcos Troquez

27 Out 2010 - 18h06Por

Certa feita, meu filho e eu fomos a uma instituição estadual de ensino em busca de um documento. Para minha surpresa, lá pude rever vários colegas dos meus tempos de professor e diretor de escola pública nas décadas de 80 e 90. Entre estes heróis estava um senhor muito dedicado e compenetrado nas tarefas que executava (serviços burocráticos). Este, além do par de óculos com vários graus, necessitava ainda do auxílio de uma “lupa” para enxergar os escritos dos livros e documentos. Chamei a atenção de meu filho para tal situação e lhe falei que aquele ali seria eu se não tivesse dado ouvidos aos conselhos de meu ex-governador.
Hoje sou funcionário público federal quase aposentado, com um salário razoável e ainda com boa saúde, graças a Deus. E aquele cidadão, será que já aposentou? Será que viverá para isto? Será que poderá curtir um pouco a vida após aposentar? O meu amigo ex-governador, eu sei pela mídia que está muito bem.
Recentemente, encontrei-o em uma festa, porém não tive oportunidade de agradecê-lo. Mas agradecê-lo por quê? Vamos lá:
Lá pelos fins dos anos 80 e início dos 90. Eu era professor e diretor de escola na rede estadual de ensino do Mato Grosso do Sul. Estávamos já há 7 meses sem o pagamento dos nossos salários. Então a classe dos professores decidiu fazer um movimento reivindicando seus pagamentos.
Assim como os demais colegas de profissão, “comi o pão que o diabo amassou” para sobreviver. Casado há pouco tempo, com uma filhinha recém-nascida, eu e minha esposa sobrevivemos com a ajuda de parentes e amigos. Pra piorar as coisas, no dia em que eu recebi todo o atrasado no banco (de uma só vez), perdi todo o dinheiro no caminho pra casa. Não fui assaltado, não. Perdi mesmo. Mas com a ajuda de Deus sobrevivi e hoje estou aqui.
Na ocasião das reivindicações pelos salários atrasados, tivemos que ouvir ainda do governador o seguinte conselho: “Quem não está contente, que faça concurso para outra coisa”. E foi o que eu fiz.
Tenho orgulho, respeito e admiração pelos meus companheiros heróis que permaneceram na educação e também pena por muitas vezes estarem submissos a inescrupulosos governantes que não valorizam uma das mais importantes categorias para a formação de uma sociedade melhor: o professor.

Esta história leva-nos a refletir sobre a atitude do referido governador que, ao invés de buscar melhorar os salários e as condições de trabalho dos professores, fez “pouco caso” da profissão docente sugerindo-lhes a mudança de emprego, como se os professores não merecessem receber salários dignos e em dia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico