Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 10 de dezembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Leia o artigo "Humor Gráfico E Expressões do Espírito" por Bruno Peron

13 Set 2010 - 11h30Por Bruno Peron

A cultura tem dinamismo e capacidade transformadora dos problemas locais e mundiais. O humor gráfico é um recurso que tem sido empregado para fazer críticas sobre aspectos políticos de um país, identificar percalços do desenvolvimento e despertar o sentimento cidadão.

 

O Salão Internacional do Humor de Piracicaba, cidade de porte médio do estado de São Paulo, Brasil, nasceu em 1974 como uma tentativa de intelectuais regionais de materializar ideias e sentimentos sobre o mundo. Quiseram, mais do que isso, institucionalizar uma prática artística.

 

Apesar da restrição orçamentária, o Salão emergiu como um embrião internacional logo nos primeiros anos de existência através da participação de artistas estrangeiros. Ao longo dos anos, a oferta de trabalhos aumentou junto com o prestígio do evento e o prêmio em categorias.

 

Este texto tem o propósito de reconhecer que: 1- o local combina-se com o global de tal forma que as responsabilidades de um cidadão de qualquer cidade são mundiais; 2- problemas ambientais e sociais são padrões que se repetem em regiões diversas e remotas do planeta.

 

A importância da mostra artística do Salão transcende o estigma de cidades de porte pequeno e médio com respeito à projeção de suas tradições e políticas públicas. O evento incentiva o investimento de outras cidades similares em programas culturais que reforcem o intercâmbio entre manifestações de partes distintas no mundo, como em culinária, cinema e teatro.

 

O humor está em evidência no Brasil, embora seja um recurso há muito utilizado diante de situações variadas, inclusive de desgraça. Uma das acepções de "humor", no dicionário Larousse da língua portuguesa, é a "capacidade de valorizar o cômico, o pitoresco, o absurdo ou o insólito". A televisão tem explorado as facetas do humor no Brasil através de programas como "CQC" e "Pânico na TV".

 

O Salão Internacional de Humor de Piracicaba, em 2010, chamou atenção pelo número significativo de trabalhos sobre a destruição ambiental e a urbanização inconsequente. As ilustrações de contaminação atmosférica na Indonésia pelas fábricas deverá ser capaz de, ao menos, sensibilizar os promotores do "crescimento".

 

Os cartuns condenam a reprodução do modelo voraz e insustentável de desenvolvimento. Na mesma cidade do evento humorístico, as queimadas dos canaviais pulverizam a cidade, parte do lixo industrial deposita-se clandestinamente em locais proibidos, um emprego de qualificação alta se cria para cada vinte vagas braçais e mal remuneradas, e bairros inteiros fedem por falta de investimento em estações de tratamento de esgoto.

 

Estes padrões repetem-se noutros contextos nacionais como se a distância física não oferecesse nenhum impedimento: o desmatamento, a poluição, a inundação, o congestionamento automotivo, a concentração de edifícios, o consumismo. Noutras palavras, é possível interpretar uma arte gráfica estrangeira com nossos próprios códigos culturais.

 

O humor frequentemente preenche a impotência do artista de fazer o que não lhe cabe por carência de poder político. Diante desta, resta-lhe manifestar livremente a criatividade.

 

Ao longo de trinta e sete anos do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, registram-se expressões e demandas de um mundo em uníssono. O Centro Nacional de Pesquisa e Documentação do Humor de Piracicaba (CEDHU), sediado no Engenho Central da cidade, reúne um acervo de centenas de obras gráficas das edições anteriores do Salão.

 

A exposição é bem organizada e nota-se a presença de uma faixa etária ampla, o que comprova que o humor gráfico atende a qualquer indivíduo que esteja minimamente informado sobre o contexto em que a obra foi produzida. O trabalho artístico dialoga com o espectador.

 

Embora o número de obras de participantes adultos e de outros estados e países seja majoritário, houve premiação de artistas de Piracicaba e a montagem de exibições paralelas, inclusive de crianças. A ação é fundamental para promover a arte entre os jovens e a cultura da cidade.

 

Todos temos um lado artístico ainda que não seja pelo humor gráfico.

 

Há os que veiculam o lado belo do humano através da graça e do riso.

 

Basta identificar como materializamos expressões do espírito.

 

 

 

-----------------------------------------------------------

 

 

 

HUMOR GRÁFICO Y EXPRESIONES DEL ESPÍRITU

 

Bruno Peron

 

 

 

La cultura tiene dinamismo y capacidad transformadora de los problemas locales y mundiales. El humor gráfico es un recurso que ha sido empleado para hacer críticas sobre aspectos políticos de un país, identificar contratiempos del desarrollo y despertar el sentimiento ciudadano.

 

El Salón Internacional del Humor de Piracicaba, ciudad de porte mediano del estado de São Paulo, Brasil, nació en 1974 como un intento de intelectuales regionales de materializar ideas y sentimientos sobre el mundo. Quisieron, más que eso, institucionalizar una práctica art

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVARDIA
Mulher agride menino autista em playground e vídeo viraliza
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Nicolau descobre que Diana luta karatê e fica em choque
ACUMULOU
Ninguém acerta a mega-sena e prêmio acumula em R$ 30 milhões
VIOLENCIA
'Tiro, porrada e bomba': festa em universidade acaba em pancadaria e PM responde com violência
NOVELA GLOBAL
Gabriel confronta Valentina em “O Sétimo Guardião”
ARROCHO
Regra defendida por Bolsonaro tira R$ 1,1 mil por mês das novas aposentadorias
BARBÁRIE
Mulher é presa após atear fogo em cachorro
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Feliciano foi muito rico e ajudou Valentina no passado
SE DEU MAL
Assaltante é morto após fazer idosa de 83 anos refém no Rio de Janeiro
ROUBO MILIONÁRIO
Homens invadem banco, trocam tiros com polícia e fogem com R$ 1 milhão
Fátima News
Avenida 09 de Julho 2135 - Centro - Fátima do Sul/MS
(67) 99638-6610 rogerio@fatimanews.com.br
© Fátima News. Todos os Direitos Reservados.