Menu
LIMIT ACADEMIA
quarta, 12 de dezembro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Justiça vai decidir sobre candidato do Prona em Dourados

7 Jul 2004 - 10h00
A Justiça Eleitoral vai decidir nos próximos dias se o Prona terá candidato a prefeito de Dourados ou se poderá se coligar com a candidata do PDT, Bela Barros. O presidente regional do partido, Izaque Mendes, destituiu a comissão provisória municipal, presidida pelo radialista José Roberto Domingos da Costa, que tinha sido homologado como candidato a prefeito na convenção realizada no dia 19 de junho. O novo presidente, o também radialista Jonas da Silva Júnior, abriu mão da candidatura própria e coligou o partido com Bela Barros na majoritária e com PSDB e PTC na proporcional. Entretanto, José Roberto registrou a candidatura dele e dos candidatos a vereador. Os nomes dos candidatos do Prona, do PCO e do PRP, que se coligaram na eleição para vereador, estão na lista divulgada no início da noite de ontem pelo Cartório Eleitoral. Agora a Justiça vai decidir se oficializa a candidatura própria ou se acata a medida do diretório regional.
 
 
 
 
Campo Grande News

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Aranha descobre marca de pata de gato de Gabriel, tira foto e conta aos guardiã
SUSTO
Celular pega fogo no bolso da calça e deixa homem com queimaduras na perna e mãos
PROCURADO
Com prisão decretada desde setembro, Dado Dolabella é considerado foragido da Justiça
DICAS DE MARKETING
5 dicas de marketing para um negócio de dropshipping
CRIME HEDIONDO
Câmera flagra ataque de suspeito de estuprar garota de 14 anos em SP; vídeo
TERROR
Ataque dentro da Catedral deixa ao menos cinco mortos em Campinas
REVIDE
Passageiro atropelado por motorista de aplicativo após vomitar em carro está em coma
A SERVIÇO DE DEUS
Angela Bismarchi festeja diploma para ser pastora: ‘Eu era pecadora e não sabia’
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Luz dá caixa com terra de cova de Gabriel para Valentina
INTOCÁVEL
PF pediu prisão domiciliar de Aécio, Cristiane Brasil e Paulinho da Força, mas PGR e STF não concede