Menu
SADER_FULL
terça, 20 de novembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Juros menores para custeio da safra animam produtores de MS

8 Ago 2007 - 10h25

As linhas de crédito agrícola para custear a próxima safra aumentaram. Os juros estão mais atraentes, mas o clima é de cautela no campo. Mesmo com os recursos disponíveis nos bancos oficiais, o produtor precisa regularizar débitos antigos para poder fazer novos financiamentos.

O momento é propício: uma disputa pelos grãos pelas indústrias de alimento e usinas de combustíveis. Os Estados Unidos aumentaram a área plantada de milho pra produzir álcool. O Brasil está vendendo mais milho pra consumo.

A soja também recuperou o preço no mercado internacional. No Brasil mais de R$ 60 bilhões já estão disponíveis pra custear a próxima safra. Em Mato Grosso do Sul, em duas semanas os produtores já financiaram R$ 20 milhões e o dinheiro veio com juros mais baixos.

“O governo reduziu a taxa de 8,75% para 6,75%. E para o produtor com certeza ficou mais barato”, explica o gerente de agronegócio Loreno Budike.

O crédito de custeio é usado pelo agricultor pra comprar insumos, preparar a terra e fazer o plantio da soja. Geralmente as lavouras começam a ser formadas em outubro com a volta da chuva.

O anúncio de dinheiro pra custeio animou os produtores. Mas quem está pagando dívidas das lavouras de 2003, 2004, 2005 terá de renegociar o que deve até o fim de agosto pra conseguir financiar o custeio.

Os produtores esperam mudanças nessa exigência. Eles aguardam uma possível prorrogação do prazo pra pagar a dívida, o que ainda não foi oficializado pelo Governo Federal. Muitos estão financiando a próxima safra fora dos bancos oficiais.

“Quando ele ainda consegue alguma garantia para oferecer para as multinacionais, para as tradings, para as fornecedoras de insumo, ele fornece essa garantia e busca esse recurso. Mas gera um custo financeiro mais alto e um custo de produção conseqüentemente mais alto”, afirma o vice-presidente da Famasul, Eduardo Corrêa Riedel

Para fugir dessa rotina de todos os anos, correr atrás de financiamento e aumentar as dívidas, muitos produtores esperam que o governo mude a política cambial, reveja a carga tributária, invista em logística e crie o seguro agrícola. Medidas que poderiam, segundo os produtores, estabilizar o setor.


Pequeno produtor

Para o pequeno produtor rural está mais fácil conseguir financiamento do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). O Governo Federal vai subsidiar os juros das linhas de crédito.

No estado, o Pronaf é feito com recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). São por volta de R$ 90 milhões disponíveis para os agricultores. Para esta safra os juros foram reduzidos e variam de 0,5% a 5,5% ao ano. Antes eram de 1% a 7,25% ao ano.

O limite de renda por safra para conseguir o financiamento aumentou em todas as linhas de crédito. Para a linha mais barata, o teto passou de R$ 3 mil para R$ 4 mil. Já para a linha mais cara, o limite subiu de R$ 80 mil para R$ 110 mil.

Com essa medida o governo pretende ampliar o público atendido pelo Pronaf. Em Mato Grosso do Sul, onde existem cerca de 60 mil famílias na agricultura familiar, a estimativa é que a demanda aumente em 20%.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)