Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Juiz limita saques em Aquidauana para coibir compra de voto

2 Out 2004 - 10h58
 

O juiz da 10ª Zona Eleitoral, Aldo Ferreira da Silva Júnior, proibiu os saques bancários superiores a R$ 5 mil para pessoas físicas e jurídicas, até o dia 4 de outubro, em Aquidauana, município a 135 quilômetros de Campo Grande, para coibir a compra de votos.

Uma denúncia recebida pela Justiça Eleitoral do município informava que seriam sacados R$ 500 mil nas agências bancárias de Aquidauana com a finalidade de comprar votos.

Na decisão, o magistrado alega que recebeu diversas denúncias alertando a respeito da compra de votos na cidade. Devido às dificuldades de confirmar as informações, ele resolveu proibir os saques.

Silva Júnior afirma, ainda na decisão, que não há justificativa para saques em quantias elevadas nesse período pois não o trabalho de cabos eleitorais é proibido no dia das eleições.

Os saques superiores ao valor de R$ 5 mil só poderão ser realizados mediante determinação judicial, após requerimento feito ao juiz.

 

 

Mídia Max

Deixe seu Comentário

Leia Também

ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares