Menu
SADER_FULL
sexta, 21 de setembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Jovens de rua ligados à família usam menos drogas

25 Nov 2004 - 14h44
Jovens em situação de rua que moram com a família consomem menos drogas diariamente que aqueles que vivem fora de casa. É o que mostra o 5º Levantamento sobre o Uso de Álcool e Drogas entre Crianças e Adolescentes em Situação de Rua, realizado no segundo semestre do ano passado pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid) e financiado pela Secretaria Nacional Antidrogas (Senad).

Os dados mostram que 72,5% dos jovens pesquisados que não estavam morando com a família faziam uso diário de drogas, enquanto 19,7% dos que vivem com a família consomem do mesmo modo. O levantamento foi apresentado ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva ontem pela pesquisadora Ana Regina Noto. "A pesquisa reforça a importância do vínculo familiar e de políticas com esse fim", disse a pesquisadora.

Foram ouvidas 2.807 crianças e adolescentes em todo País, sendo que 75,5% são do sexo masculino. A maioria dos entrevistados (55,8%) declarou que estava estudando, porém há diferenças regionais. Em Porto Velho, por exemplo, todos os entrevistados estavam estudando enquanto em São Paulo nenhum estava no colégio. Outras capitais também tiveram índices baixos como Rio de Janeiro (9,6%) e Recife (4,7%). Os motivos atribuídos para o afastamento do colégio foram os mais diversos. Uns disseram não gostar (24,3%), outros porque saíram de casa (22,3%) ou porque foi expulso da unidade de ensino (13,6%).

Das crianças e adolescentes entrevistados, 42,6% afirmaram que estavam nas ruas por diversão, liberdade ou falta de outra atividade. Já 37,7% disseram que precisavam garantir o sustento deles mesmos ou da família. A relação familiar ruim foi motivo atribuído por 26,6% dos jovens estarem nas ruas. A pesquisa mostra ainda que grande parte (45,7%) está em situação de rua entre um e cinco anos. Passam seis horas ou mais nas ruas (59,1%).

Para se sustentar vigiam carros (41%), pedem dinheiro ( 25,8%), vendem coisas (21,9%) e até praticam furtos ou roubos (17,1%).

 

Terra Redação

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSALTANTE
Preso confessou que matou a ex em cela da cadeia
DISPUTA ACIRRADA
Nova pesquisa mostra empate técnico entre Haddad e Bolsonaro
SELEÇÃO BRASILEIRA
Gabriel Jesus retorna para a Seleção
LOTERIA
Mega-Sena acumula novamente e pode pagar prêmio de R$ 22 milhões
HORÁRIO DE VERÃO 2018
Horário de Verão pode ser extinto em todo território nacional
EDUCAÇÃO
‘Desejo continuar com a minha profissão, mas temo pela minha vida’, diz professor agredido em aula
SOB INVESTIGAÇÃO
Jovem é encontrada morta dentro do quarto e esposo está desaparecido
MORTE NO DETRAN
Jovem sofre parada cardíaca durante prova para tirar CNH
REALITY SHOW
‘A fazenda’: conheça os 16 participantes da nova edição
NOVELA GLOBAL
'Segundo sol': Laureta é presa por causa de armação de Luzia