SUCURI_MEGA
FatimaNews - Notícias de Fátima do Sul e região
Fátima do Sul, 19 de Outubro de 2017
DELPHOS_FULL
16 de Setembro de 2004 15h42

Japão anuncia compra de manga brasileira após 27 anos

O primeiro-ministro do Japão, Junichiro Koizumi, informou nessa quinta-feira (16-09) ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a abertura do mercado japonês para a manga brasileira após 27 anos de negociações entre os países.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, comemorou a decisão do premiê japonês. “Essa abertura é muito emblemática, simbólica para nós. A medida sinaliza uma nova fase das relações comerciais agrícolas entre Brasil e Japão”, diz. O ministro tratou pessoalmente deste assunto com representantes do governo japonês em três viagens que fez ao país desde 2003 – a última delas no fim de maio deste ano. “Há 20 anos, quando ainda era dirigente cooperativista, já lutava por essa abertura do mercado japonês para a nossa fruta”, lembra Rodrigues.

A abertura do mercado do Japão significará um substancial aumento na produção de manga no pólo de fruticultura irrigada do Vale do São Francisco, avalia Rodrigues. A última barreira superada nas negociações foi o tratamento pós-colheita da fruta. O procedimento adotado pelo Brasil inclui a lavagem da fruta com água quente para evitar a presença de larvas e ovos da mosca do mediterrâneo, além do tratamento com hipoclorito para matar bactérias. A fruta é vendida por cerca de US$ 18 no mercado japonês.

O ministro Rodrigues argumenta que essa abertura simboliza uma nova fase nas relações comerciais nipo-brasileiras. “Esperamos que agora, a partir dessa abertura emblemática para a nossa manga, comece uma terceira fase nessas relações por meio da adoção dos biocombustíveis à base de etanol e biodiesel no Japão”.

Ele lembra que a imigração japonesa foi fundamental para a implantação e a expansão do agronegócio no Brasil. “Os japoneses trouxeram novas tecnologias de produção e introduziram fortes noções de associativismo e cooperativismo no Brasil. Além disso, os recursos do governo do Japão foram fundamentais para financiar a abertura de novas áreas agrícolas em nossos Cerrados”, afirma.

Biocombustíveis

O ministro está otimista com a receptividade dos japoneses ao projeto apresentado pelo Brasil, no início deste ano, para obter financiamento à pesquisa de biocombustíveis. Na última terça-feira (14-09), o primeiro-ministro japonês visitou, a convite de Rodrigues, a planta industrial de uma usina de açúcar e álcool na região de Ribeirão Preto (SP). Lá, Koizumi também sobrevoou lavouras de cana-de-açúcar, café e laranja. “Essa visita também foi simbólica”, diz Rodrigues. Segundo ele, o premiê pôde ver de perto o “mar de cana” e os “rios de álcool” que o Brasil produz, além do imenso potencial do país para o futuro próximo.

Em março deste ano, o Japão autorizou a adição de até 3% de biocombustível à gasolina. Rodrigues calcula que a medida poderá representar uma demanda de 10 bilhões de litros de álcool por ano naquele mercado. Para atendê-la, o Brasil precisaria aumentar em pelo menos 2 milhões de hectares a área de plantio de cana-de-açúcar. “Por isso, é necessário discutir com o Japão a questão de preço e de logística de transporte e armazenagem do produto”.
 
 
Ministério da Agricultura
Comentários
Veja Também
LÉO_GÁS_300
BANNER_LATERAL_ASSOMASUL
REINO_MATRÍCULAS_2017
Últimas Notícias
  
HERBALIFE_300
Eventos
dothCom © Copyright FatimaNews - Todos os Direitos Reservados.