Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 26 de maio de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Ivan deve se defender amanhã na tribuna da Assembléia

18 Jun 2007 - 09h00

O deputado estadual coronel Ivan de Almeida (PSB) deve se defender nesta terça-feira, como prometera, na tribuna da Assembléia Legislativa sobre seu suposto envolvimento com a máfia dos caça-níqueis em Mato Grosso do Sul, desbaratada pela Polícia Federal por meio da Operação Xeque-Mate.

Até agora, o parlamentar negou as acusações por meio de nota distribuída à imprensa na semana passada, alegando não ter ligações com a operação criminosa que coloca Mato Grosso do Sul no eixo-central da quadrinha que movimentava milhões com casa de jogos denominada caça-níqueis.

Há dias, o coronel, que foi comandante-geral da Polícia Militar durante a administração do governador Zeca do PT, foi flagrado em conversa telefônica combinando o recebimento de dinheiro como parte de seu envolvimento com a máfia.

A situação de Ivan de Almeida piorou após relatório divulgado no fim-de-semana pela Polícia Federal dando conta que o deputado socialista explorava o chamado “jogo de azar” para obter dividendos financeiros.

A Polícia Federal, segundo notícia divulgada pelo jornal Nacional, da Rede Globo, no sábado, desvendou o organograma da máfia dos caça-níqueis, que tinha cinco ramificações. No inquérito, que está sendo examinado pelo Ministério Público Federal (MPF), relatório sobre o esquema aponta como agia cada um dos indiciados.

Segundo as investigações da PF, o grupo do ex-deputado Nilton Cézar Servo, era o que mais faturava com o jogo ilegal. No organograma montado pela PF, aparece Ivan de Almeida, acusado de integrar um dos grupos.

Em gravações interceptadas com autorização da Justiça, o parlamentar  aparece cobrando mais participação no faturamento dos caça-níqueis e ameaça retirar 12 máquinas que seriam suas.

Durante os seis meses de investigações a polícia descobriu que o funcionamento da máfia dos caça-níqueis tinha uma estrutura organizacional.

Peças contrabandeadas ou importadas com aparência legal. Colocação do programa, o coração da máquina, em São Paulo. E montagem dos caça-níqueis em Mato Grosso do Sul. Segundo a polícia, era assim que operava a Multiplay – uma das gigantes do jogo no Brasil.

A Multiplay é de Raimundo Romano – foragido da Operação Xeque Mate. A investigação apurou que, para negociar as máquinas, a Multiplay usava a sentença favorável à exploração do jogo de outra empresa: a Paradise Games, de Alfredo Cursino, preso na operação.

De acordo com a polícia, os dois eram os fornecedores do ex-deputado Nilton Servo. Em Mato Grosso do Sul, Nilton tinha o apoio de um advogado. Em Porto Velho, contava com o sobrinho. Em Curitiba, o sócio era um dos filhos. No litoral de São Paulo, dividia os lucros com Dario Morelli – identificado como o responsável pelo pagamento de propinas a policiais.

Nos quatro estados, o grupo faturava uma montanha de dinheiro: R$ 7,5 milhões por mês, diz a investigação. As outras organizações, de acordo com a polícia, arrecadavam entre R$ 900 mil e R$ 1,5 milhão por mês. Uma delas tinha como integrante o deputado estadual e ex-comandante da PM Coronel José Ivan de Almeida, e agia em Campo Grande. Outra, concentrava os negócios em cassinos no Paraguai. 

Nos últimos seis meses, foram apreendidos mais de mil caça-níqueis em Mato Grosso do Sul. E isso seria apenas 10% de todas as máquinas no estado. Uma parte continua em funcionamento. E a grande maioria, segundo a Polícia Federal, foi escondida pela máfia. Neste sábado, em Campo Grande, a polícia voltou a recolher caça-níqueis. O homem que fazia a manutenção delas e o dono do bar foram detidos. (Com TV Morena).

Deixe seu Comentário

Leia Também

BONITO - MS - VISITA ILUSTRE
Em Bonito (MS), Miss Brasil Júlia Horta destaca 'A energia daqui é inexplicável'
COISA DE DOIDO
Sucuri ataca bombeiro durante resgate em SP; assista!
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Governo dobra vagas de concurso da PF e convocações saem no fim do ano
FEMINICIDIO
Mulher é morta com 75 facadas pelo ex-marido após 25 anos de casamento
NEGLIGÊNCIA FUNCIONAL
'Peguei meu filho e achei que estivesse morto', diz mãe de criança dopada em creche
FÁTIMA DO SUL - O BOTICÁRIO
Confira o que tá na promoção que vai até este sábado no O Boticário em Fátima do Sul
BONITO - MS - DICA AGÊNCIA ECO TOUR
Visite Bonito (MS) na baixa temporada, saiba o porquê!
FÁTIMA DO SUL - TRATAMENTO COACH
De Nova Andradina, Vanessa recupera autoestima com tratamento 'Coach' Célia Tenório de Fátima do Sul
CASA BOCA SUJA
morador instala placas com palavrões nos muros de casa
MACABRO
Mulher é encontrada morta ao lado de uma oferenda