Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 19 de junho de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Itaporã volta debater fruticultura

11 Ago 2004 - 07h19
Na próxima sexta-feira será realizada em Itaporã uma reunião para ampliar as conversações a respeito da implantação do projeto de fruticultura do município. Representantes do poder público, profissionais ligados ao setor e instituições de crédito confirmaram presença.
Segundo o gerente de Desenvolvimento Econômico de Itaporã, Otávio Vieira de Melo, com o interesse de uma indústria de beneficiamento de frutas cristalizadas, o projeto do distrito de Santa Terezinha, iniciado na década de 90 “deverá sair do papel”.
Em julho, empresários da Unifrutas, de Mirandópolis (SP), estiveram em Itaporã, conheceram o projeto de irrigação e se mostraram interessados em ser parceiros dos produtores rurais que foram beneficiados com a irrigação. Segundo Otávio, será uma reunião técnica e será mostrado todas as perspectivas para o setor. “Itaporã vive um bom momento e a fruticultura será mais uma fonte de renda e empregos”, disse o gerente. A reunião, a ser realizada na prefeitura de Itaporã, a partir das 09h, também vai tratar sobre linhas de crédito.
VIABILIDADE
Na reunião que mantiveram com o prefeito Antonio Cordeiro (PL) e com os produtores de Santa Terezinha, os produtores classificaram como muito viável o implemento da diversificação em Santa Terezinha, e diante deste importante projeto, que visa garantir o mercado para os produtores como também todo o acompanhamento tecnológico, estão procurando parcerias com o município. A empresa tem como prioridade à implantação dos pomares, onde seria essencial a disponibilidade de cinco hectares de área para cada produtor.
Segundo o diretores, o interesse maior da empresa na região seria o volume de produção visando um crescimento de negócios com possibilidades de exportação em grande escala para o Mercosul. Para isso, a empresa daria suporte técnico durante dois anos, e após este período passaria o controle dos negócios para cooperativas ou mesmo para o setor privado.
A partir do plantio dos pomares, a primeira safra leva de 15 a 20 meses para ser colhida. A princípio o produto in natura seria levado para o interior de São Paulo, para ser industrializado.
O PROJETO
O distrito de Santa Terezinha possui uma área de 3,5 mil hectares onde existem 138 lotes de propriedade de 108 produtores, sendo a área beneficiada com o sistemas de irrigação de 1,5 mil hectares.
Os investimentos no distrito se iniciaram em 1987, em parceria com o Governo Federal, com implantação de cinco sistemas de irrigação visando melhorar o desempenho produtivo dos agricultores daquela comunidade e conseqüentemente proporcionar o seu desenvolvimento de forma sustentável, com renda, emprego e melhor qualidade de vida. Já foram aplicados mais de R$ 20 milhões.
 
Diário MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

ATAQUE CANINO
Criança de dois anos é morta no quintal de casa por cachorro rottweiler
INFANTICIDIO
Padrasto teria sentado em cima da cabeça de bebê que morreu,foi espancado na cadeia
SOB INVESTIGAÇÃO
Jornalista do site Lei Seca Maricá foi assassinado com 3 tiros
VIDA SEDENTARIA
OMS alerta: Criança menor de 3 anos não deve ficar nem um minuto em tablet ou celular
HOMICIDIO X SUICIDIO
Pai que matou o filho de 4 anos e se matou não se conformava com namoro da ex-mulher
DOENÇA DO SÉCULO
Jovem de 19 anos, com depressão comete suicídio e comove amigos
ASSASSINATO CRUEL
O massacre do menino Rhuan e o silêncio da grande mídia
FAMOSIDADES
Homem discute com mulher e mata bebê de quatro meses
SOLIDARIEDADE
Bebê nasce sem os olhos e mobiliza cidade do Paraná
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Pai mata filho de quatro anos e se mata por não aceitar fim do relacionamento