Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
sábado, 23 de fevereiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Investimentos de quase R$ 100 mil ampliam atuação da segurança pública

7 Out 2010 - 08h38Por Governo do MS

MS 33 anos

O governo do Estado já investiu quase R$ 100 milhões em segurança pública para Mato Grosso do Sul.

Em três anos e meio as forças da segurança – polícias civil e militar e bombeiros – receberam novos profissionais e equipamentos que ampliaram o poder de atuação nas ruas de todo o Estado.

Ao todo, desde 2007 o governo já aplicou R$ 99,8 milhões na Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), que destina os investimentos para otimizar a ação policial.

De acordo com levantamento da secretaria, somente em incremento profissional para a segurança pública, 2.279 novos servidores foram contratados – a partir de seleção em concurso – para atuarem na Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros e como agentes penitenciários.

Desde 2007, apenas a Polícia Militar recebeu o reforço de 1.616 policiais.

As condições de trabalho para os policiais que cuidam da segurança da população sul-mato-grossense também recebeu atenção do governo do Estado, que adquiriu 863 novas viaturas – entre veículos de quatro rodas e motocicletas. O investimento contabiliza R$ 44.320.808,51.

Para equipar os policiais o governo do Estado já adquiriu 3.995 armas e 2.358 equipamentos de segurança, o que significa mais R$ 6,1 milhões em recursos.

Além disso, também foram compradas mais de 1 milhão de unidades de munição destinadas ao treinamento e utilizadas nas operações.

Outros R$ 49.272.771,73 foram utilizados em obras de reforma e construção de unidades policiais: seis prédios para a Polícia Militar, reforma e ampliação de outras 15; construção de uma delegacia e de 14 agências municipais do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

Polícia e Comunidade

Com o objetivo de aproximar a polícia da comunidade, o governo também incentivou a aplicação da filosofia de Polícia Comunitária.

Com este tipo de ação é possível diminuir a criminalidade através do trabalho de segurança pública focado por região e de forma aproximada, feita através da interação entre lideranças comunitárias e membros efetivos da segurança.

De acordo com dados da Polícia Militar, a aplicação da filosofia de Polícia Comunitária já aponta para a queda de índices da violência.

No bairro Nova Lima, por exemplo, a criminalidade caiu em mais de 40%, com a redução de crimes de assalto, furto também de homicídio.

Por meio de convênios com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), em Mato Grosso do Sul foram realizadas formações de promotores desta filosofia de policiamento comunitários que atuam nos Conselhos Comunitários. Atualmente existem 37 conselhos ativos no Estado.

Destes, 13 estão em diversas regiões de Campo Grande e 24 atuam em municípios do interior.

Ainda nas escolas a comunidade é chamada a participar da interação com a polícia que aplica ações preventivas através do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd).

O projeto já é desenvolvido há mais de dez anos com crianças do quinto ano do ensino fundamental em escolas públicas e particulares de todo o Estado.

Em resposta aos bons resultados que o programa oferece para a comunidade escolar, o projeto também já é voltado para adolescentes e para os pais que também participam de palestras sobre ações preventivas

Deixe seu Comentário

Leia Também

PEDOFILIA
Babá de 15 anos recebia dinheiro para ter relações com patrão
PREOCUPANTE
Mineradora declara situação de emergência em barragem de Araxá
INTOLERANCIA RELIGIOSA
Delegado solicita ida à casa do 'BBB 19' para interrogar Paula, investigada por intolerância
RESUMO DAS NOVELAS
Mercedes convoca Murilo para uma conversa
CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico