Menu
SADER_FULL
terça, 18 de dezembro de 2018
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Inventor do bina será reconhecido oficialmente no Brasil

14 Jul 2004 - 08h39
O Brasil reconhecerá, oficialmente, o criador do identificador de chamadas telefônicas. Nélio Nicolai, inventor do sistema, deve ganhar um selo comemorativo da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT). O técnico em telefonia é reconhecido como o pai da invenção em todo o mundo e já ganhou prêmios em vários países europeus. "Para o inventor, a maior glória é o reconhecimento", disse em entrevista ao programa Revista Brasil, da Rádio Nacional AM.

Nicolai patenteou o aparelho em 1981, e 11 anos depois atualizou o sistema para ser empregado em aparelhos celulares. Segundo o inventor, o Brasil está deixando de receber mais de US$ 1 bilhão por mês em royalties, porque não briga pela patente industrial do identificador de chamadas. "O mundo tem cerca de 1,3 bilhão de celulares. As operadoras de telefonia cobram de US$ 6 a US$ 10 mensais do usuários pelo identificador. Se US$ 1 desses fossem pagos em royalties ao Brasil, estaríamos faturando cerca de US$ 15,6 bilhões por ano, fora as cobranças da telefonia fixa", calculou.
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSIDADES
Silvio Santos se pronuncia sobre polêmica com Claudia Leitte e reage a campanha feminista
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Sóstenes cometeu crime por amor a Luz
ABUSO SEXUAL
João de Deus se entrega para a polícia
ACIDENTE
Criança de dois anos se enforca com a alça da bolsa enquanto brincava em escola
CASO JOÃO DE DEUS
Marina Ruy Barbosa intervém no caso João de Deus e impede uma grande tragédia
PRISÃO DECRETADA
Justiça de Goiás decreta prisão de João de Deus
STARTUPS NO BRASIL JÁ É SUCESSO
O sucesso das startups no Brasil e algumas novas apostas no mercado
REVOLTANTE
Filha de João de Deus diz que foi abusada dos 10 aos 14 anos: 'Meu pai é um monstro'
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Robério beija Marcos Paulo e a agride ao descobrir que ela é trans
DESTAQUE MUNDIAL
Dois brasileiros estão no Top 50: melhores professores do mundo