Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
quarta, 21 de novembro de 2018
LIMIT ACADEMIA
Busca
SICREDI_FATIMA
Brasil

Inmetro quer revisar normas de segurança para brinquedos

16 Ago 2007 - 08h40
Como não houve nenhuma queixa no Brasil em relação aos brinquedos da empresa Mattel, o Instituto Nacional de Metrologia e Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) acha que cumpriu o seu papel em fiscalizar à qualidade dos produtos. Entretanto, o diretor de qualidade do Inmetro, Alfredo Lobo, diz que vai propor ao Mercosul, Brasil incluído, de revisar as normas que regulam a segurança de brinquedos.
Certificação
Lobo garante que a certificação do Inmetro é uma das melhores do mundo e que os consumidores não devem ter receio de comprar os produtos. O Instituto certifica cerca de 1,5 bilhão de brinquedos por ano. Ainda segundo o diretor, até o momento, não houve qualquer acidente no Brasil, ao contrário do que aconteceu nos Estados Unidos, de acidente ou ingestão de qualquer parte destes brinquedos relatados ao Instituto.
“Eles foram submetidos a todas as normas e regulamentos, bem como práticas de laboratório no mundo todo. Foram considerados adequados. Eles passaram nos ensaios no Brasil e em todas as partes do mundo. Mas diante da iniciativa do fabricante, ainda que certificados, decidimos levar o assunto ao Mercosul no sentido de estudar se há alguma necessidade de revisão do regulamento”, informou Lobo.
A Mattel, segundo Lobo, procurou o Inmetro na terça (14) para comunicar o pedido de recolhimento de todos os produtos que estavam fora do novo padrão de segurança estabelecido pela empresa.
“O recolhimento está sendo feito, segundo a Mattel, em conseqüência do aperfeiçoamento que eles fizeram na linha do produto a partir de algumas inconformidades que ocorreram onde houve o despreendimento das roupinhas de algumas bonecas. Eles nos mostraram os aperfeiçoamentos que ficaram evidentes e o novo produto está com mais segurança”, disse Lobo.
Outros recalls da Mattel
O recall é o segundo só este mês envolvendo brinquedos da empresa. No início de agosto, a empresa retirou do mercado dos Estados Unidos cerca de um milhão de brinquedos depois de descobrir que haviam sido pintados com tinta à base de chumbo.
Muitos deles são de personagens da "Vila Sésamo" e do Nickelodeon, incluindo o barquinho do Elmo, a mochila da Dora, a Aventureira, e o Giggle Gabber, um brinquedo para bebês que vem no formato de Elmo ou Cookie Monster e que emite risadas e sons engraçados quando agitado.
 
No ano passado, a empresa já havia tido problemas com os brinquedos da linha Polly Pocket. Nos EUA, houve três acidentes com o brinquedo, o que motivou a retirada de 4,2 milhões de bonecas do mercado. Nos três casos, crianças ingeriram pelo menos dois ímãs que acompanham as bonecas e tiveram perfurações intestinais.
Segundo a empresa, o recall atual é resultado de esforços para "elevar padrões de segurança relacionados a produtos que possuam pequenos ímãs".
Mercado nacional
No Brasil, as unidades que fazem parte do recall foram comercializadas entre 2002 e 2007. A empresa informou que está notificando as lojas para que as vendas sejam suspensas. Quem já comprou um dos produtos deve entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800 77 01207 ou pelo e-mail recall.brasil@mattel.com.
 
 
 
TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem que matou filho para defender a nora comete suicídio
INJUSTIÇA
Familiares prestam homenagem a laçador de cães que morreu após ser hostilizado
FORAGIDO
Mulher é morta a facadas pelo ex-marido, que não aceitava fim de relacionamento
NOVELA GLOBAL
'O sétimo guardião': Valentina conta a Egídio que Gabriel é filho dele
CRUELDADE
Idosa de 106 anos é assassinada a pauladas no Maranhão
NOVO GOVERNO
Desistência de general para ministério leva crise ao QG de Bolsonaro
ASSASSINATO
Câmeras flagram dupla efetuando mais de 30 tiros contra homem; veja o vídeo
TRISTEZA
Menino de 10 anos comete suicídio após a prisão do pai
MALDADE
Câmera de segurança flagra homem colocando fogo em casinha comunitária para cachorros
FATIMASSULENSES EM UBATUBA (SP)
Fatimassulenses, alunos do Vicente Pallotti fazem curso de biodiversidade marinha em Ubatuba (SP)