Menu
SADER_FULL
sábado, 19 de janeiro de 2019
LIMIT ACADEMIA
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Inmetro quer revisar normas de segurança para brinquedos

16 Ago 2007 - 08h40
Como não houve nenhuma queixa no Brasil em relação aos brinquedos da empresa Mattel, o Instituto Nacional de Metrologia e Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) acha que cumpriu o seu papel em fiscalizar à qualidade dos produtos. Entretanto, o diretor de qualidade do Inmetro, Alfredo Lobo, diz que vai propor ao Mercosul, Brasil incluído, de revisar as normas que regulam a segurança de brinquedos.
Certificação
Lobo garante que a certificação do Inmetro é uma das melhores do mundo e que os consumidores não devem ter receio de comprar os produtos. O Instituto certifica cerca de 1,5 bilhão de brinquedos por ano. Ainda segundo o diretor, até o momento, não houve qualquer acidente no Brasil, ao contrário do que aconteceu nos Estados Unidos, de acidente ou ingestão de qualquer parte destes brinquedos relatados ao Instituto.
“Eles foram submetidos a todas as normas e regulamentos, bem como práticas de laboratório no mundo todo. Foram considerados adequados. Eles passaram nos ensaios no Brasil e em todas as partes do mundo. Mas diante da iniciativa do fabricante, ainda que certificados, decidimos levar o assunto ao Mercosul no sentido de estudar se há alguma necessidade de revisão do regulamento”, informou Lobo.
A Mattel, segundo Lobo, procurou o Inmetro na terça (14) para comunicar o pedido de recolhimento de todos os produtos que estavam fora do novo padrão de segurança estabelecido pela empresa.
“O recolhimento está sendo feito, segundo a Mattel, em conseqüência do aperfeiçoamento que eles fizeram na linha do produto a partir de algumas inconformidades que ocorreram onde houve o despreendimento das roupinhas de algumas bonecas. Eles nos mostraram os aperfeiçoamentos que ficaram evidentes e o novo produto está com mais segurança”, disse Lobo.
Outros recalls da Mattel
O recall é o segundo só este mês envolvendo brinquedos da empresa. No início de agosto, a empresa retirou do mercado dos Estados Unidos cerca de um milhão de brinquedos depois de descobrir que haviam sido pintados com tinta à base de chumbo.
Muitos deles são de personagens da "Vila Sésamo" e do Nickelodeon, incluindo o barquinho do Elmo, a mochila da Dora, a Aventureira, e o Giggle Gabber, um brinquedo para bebês que vem no formato de Elmo ou Cookie Monster e que emite risadas e sons engraçados quando agitado.
 
No ano passado, a empresa já havia tido problemas com os brinquedos da linha Polly Pocket. Nos EUA, houve três acidentes com o brinquedo, o que motivou a retirada de 4,2 milhões de bonecas do mercado. Nos três casos, crianças ingeriram pelo menos dois ímãs que acompanham as bonecas e tiveram perfurações intestinais.
Segundo a empresa, o recall atual é resultado de esforços para "elevar padrões de segurança relacionados a produtos que possuam pequenos ímãs".
Mercado nacional
No Brasil, as unidades que fazem parte do recall foram comercializadas entre 2002 e 2007. A empresa informou que está notificando as lojas para que as vendas sejam suspensas. Quem já comprou um dos produtos deve entrar em contato com a empresa pelo telefone 0800 77 01207 ou pelo e-mail recall.brasil@mattel.com.
 
 
 
TV Morena

Deixe seu Comentário

Leia Também

A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos, vítima de enfarto
CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado