Menu
SADER_FULL
quarta, 23 de janeiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Índios permanecem em fazenda de Amambai e prometem resistir

9 Mai 2007 - 08h11

O grupo de pelo menos 60 indígenas da Aldeia Taquapery, de Coronel Sapucaia, permanece na Fazenda Madama, em Amambai. Policiais federais de Ponta Porã e representantes da Funai (Fundação Nacional do Índio) de Amambai estiveram ontem no local, mas os índios afirmaram que vão resistir e não deixarão a área antes da realização de um estudo antropológico para verificar se a terra é indígena.

A Funai solicitou ainda no ano passado para a direção nacional do órgão, em Brasília (DF), a realização do estudo antropológico, porém ainda não obteve resposta. Entretanto, o grupo da etnia guarani-kaiowá reivindica a posse da terra, alegando que a propriedade é indígena. Os policiais militares de Amambai também foram até a fazenda, mas foram impedidos de entrar.

Por enquanto, os indígenas não causaram nenhum prejuízo na área e permanecem na mata da fazenda. Os proprietários temem pela própria segurança e dos funcionários, pois os índios estão armados com facas e já fizeram ameaças de ocupar a sede da fazenda, segundo informou Débora Vendramini, filha de Antônio Vendramini, dono da fazenda.

Os proprietários devem ingressar ainda nesta quarta-feira na Justiça para que os índios desocupem a área. A ocupação já descumpre decisão judicial do dia 2 deste mês que determinou a expedição de mandado proibitório deferindo liminar a favor dos proprietários da área Antônio Vendramini e Maria Cecília Fusco Vendramini, conforme decisão da juíza federal substituta Daniela Paulovich de Lima, da 1ª Vara Federal de Ponta Porã.

A ação tem como réus a Funai, União e o indígena Francisco Fernandes, que está preso. Ele é acusado de comandar invasões na área e está sujeito a multa de R$ 500 caso motivasse novas ocupações. Esta é a segunda vez que a fazenda é invadida, pois em janeiro deste ano eles ocuparam a área e, durante conflito com fazendeiros, a índia Xurete Lopes, 70 anos, foi assassinada.

Vilson Nascimento

Além disso, no início deste ano, eles bloquearam os acessos da fazenda e fecharam por cinco dias a MS-289, que liga os municípios de Amambai e Coronel Sapucaia, em protesto contra a morte da índia que eles queriam enterrar na fazenda. Na época da invasão, quatro índios foram presos pela Polícia Civil de Coronel Sapucaia por terem roubado um trator e uma carreta da fazenda. Eles estavam armados com facas, facões e com revólver, sendo que as armas acabaram sendo apreendidas pelos policiais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PERSISTÊNCIA
Filho de faxineira e porteiro passa em medicina no Paraná
RENOVAÇÃO LICENÇA
Extinção de mais 130 rádios comunitárias no Brasil deve alcançar emissora de Ponta Porã
CENAS FORTES
Vídeo flagra mulher sendo agredida por ex-marido com socos e chutes
GUERRA NO RJ II
Parentes de mortos durante chacina em São Gonçalo e Itaboraí dizem que vítimas eram inocentes
GUERRA NO RJ
Chacina deixa pelo menos 7 mortos na Região Metropolitana do Rio
BBB 19
Famosos protestam contra Maycon por agredir animais e mãe o defende: 'Não é um monstro'
MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho