Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 20 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
CANTINA BAH
Brasil

Índios aguardam decisão de Brasília sobre impasse da Funai

24 Mai 2007 - 04h12
As lideranças indígenas guarani-kaiowá e guarani-ñhandeva da região de fronteira que há duas semanas protestam contra a transferência da Administração Regional da Funai de Amambai para Dourados, transformando a antes AR em apenas um núcleo de apoio, estão aguardando uma decisão de Brasília sobre a permanência da regional do órgão federal em Amambai.

Nessa quarta-feira pela manhã caciques e chefe de grupos de 22 áreas indígenas atendidas pela extinta Administração Regional de Amambai, que estão divididas em 12 municípios da região de fronteira entre Brasil e Paraguai lotaram as dependências da Câmara de Amambai para uma reunião com o indigenista Cláudio Romero, enviado pelo presidente da Fundação Nacional do Índio de Brasília para ouvir as reivindicações das lideranças indígenas e realizar uma avaliação da situação.

Segundo Cláudio Romero a extinção da Administração Regional da Funai de Amambai para a criação da Administração Regional para o Conesul em Dourados foi um equivoco e poderá ser revertida. De acordo com o indigenista a desativação do órgão entrou em um contexto de estruturação da Funai em todo o Brasil, onde vários núcleos acabaram fechados para centralizar as ações em âmbito regional visando, com isso, melhorar o atendimento às comunidades indígenas.
“Em todas essas mudanças a nível nacional, apenas a Administração Regional de Amambai foi rebaixada de AR para núcleo”, disse Cláudio Romero ao destacar que a permanência da Administração no município é de fundamental importância para os mais de 25 mil índios que habitam nas aldeias da região, portanto é necessário que a portaria extinguindo o órgão seja revista pelo presidente da Funai, Márcio Augusto Freitas de Meira.

Documento à Brasília- Após as discussões durante a reunião pela manhã, na tarde dessa quarta-feira Cláudio Romero encaminhou um documento em regime de urgência ao presidente da Funai em Brasília, Marcio Meira relatado ser viável e necessário a permanência da Administração Regional da Fundação Nacional do Índio em Amambai e o clima é de expectativa para a resposta que é aguardada ainda para essa quarta-feira ou no mais tardar até o final do dia dessa quinta-feira, 24.

A reunião dessa quarta-feira pela manhã na Câmara de Amambai, além das lideranças indígenas, contou também, com a participação da classe política de Amambai, entre eles, do presidente da Câmara Municipal de Amambai, vereador Osvaldo Machado Franco, o “Coconho” (PRONA), dos vereadores Josmair Cardoso (PR), Carlos Batista do Nascimento, o “Carlinhos” (PPS), Anderson Mansano (PR) e Daniel Riquelme (PTB), todos de Amambai. De Coronel Sapucaia participou da reunião o vereador Daniel Lescano, que também é cacique na Aldeia Taquapery e Tacuru foi representado pelo vereador Isaul Martins que também é guarani-kaiowá.

Também estiveram acompanhando a reunião representantes das instituições de segurança pública, entre elas o comandante da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar de Amambai capitão Jidevaldo de Souza Lima e do comandante da base da Polícia Militar Rodoviária Estadual de Amambai, subtenente Luiz Gonzaga.

 
 
A Gazeta Esportiva

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos