Menu
LIMIT ACADEMIA
segunda, 21 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Incra precisa regularizar licença ambiental de assentamentos

13 Out 2004 - 06h57
Dos 4.520 assentamentos feitos até 2003, apenas 536 fizeram o pedido de licença ambiental prévia. Destes, 274 obtiveram o documento. A informação é do superintendente nacional de Desenvolvimento Agrário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Carlos Guedes.

A obrigatoriedade do licenciamento foi fixada na Resolução 289, de 2001, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), órgão do Ministério do Meio Ambiente. A causa do problema, segundo Carlos Guedes, é que, “até 2003, os estados não estavam fazendo os pedidos, não havia essa preocupação de regularizar”. A expectativa do Incra é tentar ingressar com novos pedidos de licenças nos órgãos ambientais estaduais até 2006.

Além de impossibilitar o financiamento para a produção pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), a inexistência da licença coloca em risco a preservação e conservação do meio ambiente. Isso pode significar desmatamendos sem autorização e deteriorização das nascentes e dos recursos hídricos.

Os pedidos devem ser feitos pelos escritórios estaduais do Incra aos órgãos ambientais do estado, que expedem uma licença prévia válida “até a criação do plano de desenvolvimento do assentamento”. Esse plano serve como pedido da licença definitiva e deve conter a exploração econômica que será desenvolvida, as repercussões ambientais da atividade e a preservação dos recursos naturais. Segundo Guedes, o processo gera um segundo problema. “Os órgãos ambientais custam a dar a licença, temos casos de até dois anos de espera”, afirma.

Em fevereiro deste ano, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em visita à sede do assentamento Nova Santo Inácio Ranchinho (MG), disse que pretendia mudar o quadro de 90% dos assentamentos sem licença ambiental, herança do governo anterior. "Assim, a maioria não conseguia ter acesso ao Pronaf para financiar a produção. A primeira coisa que fizemos foi tentar ordenar, para que os assentamentos fossem se regularizando”, explicou o presidente à época.

Para melhorar a situação, foi assinado, há um ano, o Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta, entre o Incra e os ministérios do Meio Ambiente e Desenvolvimento Agrário. Pelo termo de compromisso, o Incra tem até o final de 2006 para regularizar os licenciamentos. “Iremos entrar com todos os pedidos ainda não realizados, o que não quer dizer que a licença seja expedida até 2006”, avisa o superintendente. “Nos novos assentamentos (ocorridos após 2003), os licenciamentos já fazem parte do procedimento”, garante Guedes.

Até o momento, os pedidos ainda não começaram a ser feitos. “O trabalho começou, na prática, neste ano”, explica o superintendente nacional. A primeira ação do Incra foi fazer um levantamento da situação e promover oficinas em 19 estados com a participação do órgão estadual de meio ambiente e de movimentos sociais “para a formulação de políticas conjuntas e elaboração de projetos”, conta o superintendente.
 
 
Agência Brasil

Deixe seu Comentário

Leia Também

MORTE A ESCLARECER
Exército investiga morte de sargento após teste de aptidão física
CASO DE POLÍCIA
Rapaz morre em pátio de motel
MINISTRA DO MS NO GOVERNO BOLSONARO
Ministra Tereza Cristina garante fortalecer cadeia do leite e agricultura familiar
PROBLEMAS MENTAIS
Casal é brutalmente agredido a enxadadas pelo filho
BARRADO
Filho do cantor Marciano diz ter sido impedido de ir no velório do pai
A COBRA VAI FUMAR - SEGURANÇA NO MS
MS fecha o cerco contra a violência na fronteira em mega operação
LUTO NA MÚSICA
Marcelo Yuka, fundador do Rappa morre aos 53 anos
ROTEIRO ESPECIAL PARA O RIO DE JANEIRO
Roteiro diferente para continuar conhecendo o Rio de Janeiro
DICA DE TURISMO E FÉRIAS
Dicas para curtir uma temporada em Arraial do Cabo
LUTO - ESPORTE
Morre Jackelyne da Silva, ginasta da seleção brasileira, aos 17 anos