Menu
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
terça, 17 de setembro de 2019
SADER_FULL
Busca
ÁGUAS DE BONITO
Brasil

Inadimplência recua 1,4% em julho em relação a 2003

20 Ago 2004 - 11h11

A inadimplência está caindo no Brasil, segundo pesquisa divulgada na manhã desta sexta-feira pela Serasa. Em julho, o indicador teve queda de 1,4% em relação ao mesmo mês de 2003. Entretanto, no acumulado de janeiro a julho deste ano, houve crescimento, ainda que pequeno. Houve variação positiva de 0,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. Nos primeiros sete meses de 2003, houve alta de 5,5% na comparação com iguais meses de 2002.

A queda acentuada da inadimplência em 2004 fica mais evidente quando comparada com a inadimplência de 32,8% apresentada de janeiro a julho de 2002, contra igual meses de 2001.

Segundo técnicos da Serasa, a redução da inadimplência de pessoa física é resultado da melhora do nível de atividade econômica, verificada a partir de abril deste ano, que tem contribuído com a abertura de novas vagas de trabalho e com a melhor negociação salarial obtida por trabalhadores de algumas categorias através da reposição de perdas inflacionárias. Essa conjuntura, segundo a instituição, permite que o consumidor regularize suas pendências financeiras em vez de assumir novas dívidas.

Os cheques sem fundos têm a maior representatividade na inadimplência de consumidores em comparação com 2003. Nos primeiros sete meses deste ano, eles representaram 36% do total do indicador de Pessoa Física. O percentual é o mesmo registrado nos mesmos meses do ano passado. Em 2002, foi 37%, em igual período.

O segundo maior índice na representatividade é o registro de inadimplência de cartões de crédito e financeiras, que no acumulado do ano teve participação de 33%, a mesma registrada em 2003. Já em 2002, a participação era 35%. O índice que aponta os registros no sistema financeiro (bancos) apresentou a terceira maior participação no indicador, com 29%; a mesma em 2003. Em 2002, 24%. Com a menor representatividade estão os títulos protestados, 2% em 2003, mesma variação apresentada em 2002 e em 2001.

O valor médio das anotações negativas de cheques sem fundos de pessoa física foi R$ 437 em julho de 2004. Já o de títulos protestados foi R$ 622; registros no sistema financeiro, R$ 915, e de registros outros segmentos (cartões de crédito e financeiras), R$ 242.

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVELA GLOBAL
Em 'A dona do pedaço', Régis se aproxima de Maria da Paz, que fica mexida com ex
ALTOS HONORÁRIOS
Advogados cobram R$ 4,4 milhões de Viúva da Mega-Sena em honorários na Justiça
TRAGEDIA
Pai tenta salvar filho em incêndio, mas os dois morrem
MUNDO MEDONHO
'Pago boleto, compro calcinha': usuários de aplicativos de paquera relatam apuros e curiosidades
FAMOSIDADES
Belo sai de casa após flagrar traição de Gracyanne
ASSASSINATO
PM é torturado e morto após circular boato de que seria 'estuprador'
JULGAMENTO
PMs acusados de chacina taparam câmera de segurança antes do crime
CASO DE POLÍCIA
Catador de reciclável recebe mochila com bebê congelado dentro
LUTO NA MÚSICA
Cantor sertanejo morre após carro bater em árvore em rodovia de MS
FAMOSOS
David Brazil causa ao expor bumbum de Anitta sem ela saber