Menu
SADER_FULL
sexta, 22 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
ECONOMIA

Inadimplência do consumidor registra 2ª alta anual, diz Serasa

13 Jul 2010 - 05h31Por Folha Online

A inadimplência do consumidor registrou acréscimo de 5,2% em junho ante o mesmo mês do ano passado, representando a segunda alta na comparação anual desde outubro de 2009, segundo o indicador da Serasa Experian divulgado nesta segunda-feira.

Na comparação mensal -- junho em relação a maio deste ano --, a inadimplência do consumidor, mesmo perdendo fôlego, também cresceu, registrando variação de 1,1%.

Na avaliação dos economistas da Serasa Experian, a alta da inadimplência do consumidor tem relação com o crescimento acelerado do endividamento, além do bom desempenho das vendas, sobretudo as financiadas no Dia das Mães, Dia dos Namorados e Copa do Mundo.

"Vale lembrar que o consumidor já carregava, anteriormente, compromissos pela antecipação do consumo para aproveitar o IPI reduzido (automóveis, eletrodomésticos da linha branca e móveis), e, por isso, agora encontra dificuldades para honrar suas dívidas", analisam ao economistas.

Neste cenário, o maior endividamento do consumidor e o atual ciclo de aperto monetário (elevações da taxa Selic) "irão fazer com que a inadimplência continue evoluindo nos próximos meses, porém sob controle e sem recorde histórico", afirma o indicador.

CARTÕES

Na decomposição do indicador, a inadimplência com cartões de crédito e financeiras (alta de 7%) e dívidas com os bancos (crescimento de 0,6%) foram as responsáveis pela alta mensal em junho de 1,1% na inadimplência do consumidor.

Ao contrário das avaliações anual e mensal, a inadimplência do consumidor no período acumulado do primeiro semestre de 2010/2009 caiu 2,3%, representando a maior queda para esta comparação desde o início do indicador, em 2000.

DÍVIDAS

No primeiro semestre de 2010, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das dívidas com os bancos teve queda de 0,4%. Já as outras três modalidades de inadimplência -- cheques sem fundos, títulos protestados e cartões de crédito e financeiras -- apresentaram alta de 41,9%, 6,4% e 1,8%, respectivamente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'