Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 19 de outubro de 2018
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Impasse entre Brasil e Argentina adia discussão

16 Jul 2004 - 13h23

Um impasse entre o Brasil e a Argentina adiou a discussão sobre a venda de máquinas de lavar roupa brasileiras em território argentino. A informação foi dada pelo secretário executivo do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Márcio Fortes.

Segundo dados dos negociadores, o Brasil quer ter garantido para si 46% do mercado argentino de máquinas de lavar roupa, enquanto a Argentina oferece 35% do mercado apenas para os brasileiros. O Brasil estaria ainda interessado em uma porção (2% a 3% do mercado) dos outros 11% que a Argentina oferece a outros países que não o Brasil.

Os argentinos são cautelosos e preferem não falar em números, que devem ser apresentados na semana que vem. O governo argentino também quer fazer uma proposta para um período de seis meses e, depois disso, fazer uma renegociação.

Depois de mais de dez horas de reuniões, foi assinado o acordo que limita a importação de geladeiras e fogões fabricados no Brasil. Nos dois casos, o Brasil aceitou reduzir bruscamente o total de mercadorias enviadas ao país vizinho com a observação de que o país poderá aumentar as vendas caso as fábricas argentinas não consigam atender seu próprio mercado.

"Nosso objetivo é ajudar a recuperação da indústria argentina", afirmou Fortes.

Convite

Segundo o secretário, o Brasil deixou claro nos documentos assinados até agora que não permitirá que outros países ocupem o mercado que até agora vinha sendo utilizado pelo Brasil.

Fortes informou ainda que o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, convidou o ministro da Economia, Roberto Lavagna, para se reunir com ele e com o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, no próximo dia 22 em Brasília.

Eles vão discutir a integração entre os países e tentar evitar possíveis disputas comerciais que já estão sendo previstas por autoridades dos dois governos.

Entre elas estão a importação de máquinas agrícolas e automóveis fabricados no Brasil que são vendidos na Argentina.

Fortes disse que o Brasil ainda está analisando juridicamente o decreto que está prestes a ser assinado pela Argentina impondo uma taxa extra de 21% para as televisões fabricadas na Zona Franca de Manaus no Brasil.

O acordo com os fogões estipulou que o Brasil enviará ainda este ano 33 mil unidades do produto para a Argentina.

No primeiro semestre do ano que vem, serão 47,5 mil. Para depois, há mais negociações previstas. A cota para geladeiras ficou fixada entre 20 de julho e 30 de setembro em 42,7 mil unidades. Os números são muito inferiores ao registrados nos últimos três anos.

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

RETA FINAL
'Segundo sol': Antes de ir para a cadeia, Luzia pede: 'Continuem procurando por Remy! Ele está vivo!
CASO LETICIA
Adolescente morta a facadas contou a amigos que pai estuprou a tia na sua frente:'Tinha quatro anos'
MOTIVO FUTIL
Camera ajuda na indentificação de Homem que confessa ter matado mulher após falhar na "Hora H"
A CASA CAIU
Rapaz é agredido pelas sete namoradas que descobriram traição
SEGUNDO SOL
Beto confronta Karola: 'Você roubou a vida de outra mulher'
DEFICITÁRIAS
Correios fecham 02 agências no MS e 39 no país
VICENTINA - LEILÃO ELETRÔNICO
Justiça realizará leilão eletrônico de imóveis urbanos e trator de VICENTINA
OPORTUNIDADE DE EMPREGO
Conclusão do Comperj deve gerar 8 mil vagas em 2019
LUTO NO JORNALISMO
Morre Gil Gomes, jornalista policial, aos 78 anos, em São Paulo
SELEÇÃO BRASILEIRA
Brasil vence a Argentina com gol de Miranda nos acréscimos e conquista o Superclássico