Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 18 de janeiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Impasse continua e greve dos bancários chega ao 10º dia

24 Set 2004 - 07h13

A greve dos bancários continua nesta sexta-feira, chegando ao décimo dia de paralisação. O movimento atinge 24 capitais e 105 sindicatos do interior. Representantes da categoria têm reunião marcada com o Ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, às 15h, em Brasília, para denunciar o desrespeito dos banqueiros ao direito de greve dos trabalhadores. Segundo a Confederação Nacional dos Bancários (CNB), cerca de 200 mil bancários aderiram ao movimento.

A audiência com o ministro do Trabalho foi solicitada pelo Sindicato dos Bancários de São Paulo e terá a participação do presidente da CNB/CUT, Vagner Freitas, além dos presidentes dos sindicatos de São Paulo, Luiz Cláudio Marcolino, e de Brasília, Jacy Afonso de Mello.

Ontem, o presidente da CNB reuniu-se com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim, também para denunciar a postura dos bancos.

O ministro destacou que o STF é a última instância recursal e, por isto, nunca julgou o mérito de um interdito proibitório - instrumento jurídico por meio do qual as instituições financeiras vêm reclamando o direito de propriedade, obrigando os bancários a retornar ao trabalho e os grevistas a permanecer longe das agências.

Segundo Jobim, está em estudo uma medida que permitiria ao Supremo julgar matérias constitucionais sem que tenham de passar antes por outras instâncias.

De acordo com o sindicato, em diversas cidades os bancos vêm se utilizando medidas judiciais e utilizando força policial contra os trabalhadores. " O Sindicato vai enviar carta à Secretaria de Segurança Pública. Não concordamos com esse tipo de ação policial que usa de violência contra os trabalhadores", diz o presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, Luiz Cláudio Marcolino. "A greve dos bancários é pacífica e queremos que permaneça assim. Os trabalhadores querem conquistar melhores salários e estão se manifestando por meio do seu livre direito de greve", completou.

Ontem, 329 agências da capital paulista, Osasco e região não funcionaram. A paralisação de grandes concentrações, como o Centro Técnico Operacional (CTO) do Itaú, elevou o número de bancários em greve, que já chega à casa dos 30 mil.

Hoje, os bancários fazem nova passeata na capital paulista, desta vez pelas ruas do Centro. A concentração será na Praça Ramos em frente ao Teatro Municipal. Os trabalhadores percorrerão as principais ruas da região, farão manifestação em frente à Federação Nacional dos Bancos e encerram a passeata na Praça do Patriarca, onde acontece a assembléia da categoria para deliberar a continuidade da greve.

A Fenaban mantém a proposta, já rejeitada pelos bancários, de reajuste salarial de 8,5%, com participação nos lucros de até 80% do salário. Os grevistas querem 25%, incluindo aumento real de 17,68% nos salários, além de participação nos lucros de até um salário, mais R$ 1.200.

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARNAVAL É NO CAMPO BELO RESORT
Carnaval é no Campo Belo Resort, reserve já seu lugar nesse bloco - Confira os pacotes
MS EM ALERTA
Meteorologia alerta para a possibilidade de chuva forte no fim de semana no MS
DECEPCIONADA
Regina Duarte surpreende e se posiciona contra atitude de Bolsonaro
SATÂNICO
Mulheres são presas acusadas de torturar criança de apenas dois anos que teve rosto desfigurado
INSPIRAÇÃO
Idoso se forma em Direito aos 94 anos, após morte da esposa
POLEMICA
Movimento Gay quer tirar Bíblia de circulação no Brasil, diz Damares
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Homem atira em esposa e se mata com granada
SUPERAÇÃO
Pedreiro cadeirante enfrenta difilculdades e sustenta a família trabalhando em obras
GASES MORTAIS
Homem morre após segurar peidos na casa da namorada
REALITY SHOW
'BBB 19': Danrley diz ser virgem, e irmã brinca: 'Nem no signo'