Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 15 de fevereiro de 2019
SADER_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

IBGE: Produção industrial cresce em 7 Estados

10 Abr 2007 - 10h03
A produção industrial no País cresceu em sete dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em fevereiro ante janeiro, na série com ajuste sazonal. Todas as áreas com crescimento apresentaram taxas acima da média nacional (0,3% nessa base de comparação, segundo divulgado na semana passada), com destaque para São Paulo (2,3%).

Entre as áreas com redução na produção, destacaram-se Rio de Janeiro (-5,4%), Bahia (-6,0%), Amazonas (-6,7%) e Goiás (-10,1%).

Na comparação com fevereiro de 2006, os índices regionais apresentaram taxas positivas em nove dos 14 locais pesquisados. Os principais destaques de expansão nesse indicador ficaram com Espírito Santo (8,4%), Paraná (8,3%), Pernambuco (7,2%), Pará (7,0%) e Rio Grande do Sul (5,6%).

Os Estados de São Paulo (3,5%), Minas Gerais (3,3%), Santa Catarina (3,3%) e região Nordeste (3,2%) também cresceram acima da média nacional (3,0%).

Ainda com taxas positivas, embora abaixo do crescimento do País, ficaram Goiás (0,8%) e Ceará (0,3%). Houve queda na produção em três Estados: Bahia (-0,2%), Rio de Janeiro (-2,1%) e Amazonas (-12,0%).

São Paulo

Em São Paulo, a indústria mostrou resultados positivos nos principais indicadores em fevereiro. Além do aumento de 2,3% na produção, após recuo de -0,9% em janeiro ante dezembro, o índice de média móvel trimestral na indústria do Estado cresceu 0,8% entre os trimestres encerrados em fevereiro e janeiro.

Na comparação com fevereiro de 2006, a produção industrial em São Paulo avançou 3,5%, segunda taxa positiva consecutiva. Com isso, o índice acumulado no primeiro bimestre do ano foi de 3,3% e o acumulado nos últimos 12 meses até fevereiro mostrou alta de 3,1%.

Na comparação com igual mês do ano anterior, para a qual há detalhamentos setoriais, o aumento de 3,5% na indústria paulista refletiu o desempenho positivo de 15 dos 20 ramos investigados.

Os segmentos de máquinas e equipamentos (9,6%), material eletrônico e equipamentos de comunicações (20,3%) e máquinas para escritório e equipamentos de informática (45,0%) exerceram as contribuições mais significativas na expansão geral.

Os principais impactos de queda, por sua vez, vieram de edição e impressão (-9,0%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (-9,0%) e borracha e plástico (-6,2%).

 

 

 

Estadão

Deixe seu Comentário

Leia Também

CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat
SOLIDARIEDADE
Jovem faz campanha para pagar cirurgia de cachorro que vive com tumor 'gigante'
NOVO SURTO
OMS alerta para possível 3ª onda de surto de febre amarela no Brasil