Menu
LIMIT ACADEMIA
sexta, 22 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
CONTAINER
Brasil

IBGE: gastos com construção sobem 0,62% em março

5 Abr 2007 - 10h54

O Índice Nacional da Construção Civil, calculado pelo IBGE em convênio com a Caixa Econômica Federal, registrou variação de 0,62% em março, ficando 0,21 ponto percentual acima de fevereiro (0,41%).

Segundo o IBGE, este resultado foi pressionado pelos reajustes salariais ocorridos na Bahia e no Rio de Janeiro, sendo este, o mais elevado desde junho do ano passado. No ano, o índice acumula variação de 1,30%. Nos últimos 12 meses a variação é de 5,51%. Já na comparação com março de 2006 (0,20%) o índice atual (0,62%) avançou 0,42 ponto percentual.

O custo nacional por metro quadrado passou de R$ 574,85 (em fevereiro) para R$ 578, 40, sendo R$ 334,27 relativos aos materiais e R$ 244,13 à mão-de-obra. A parcela dos materiais aumentou 0,38%, 0,11 ponto percentual abaixo da variação registrada em fevereiro (0,49%). A mão-de-obra avançou 0,66 ponto percentual, passando de 0,29% (fevereiro) para 0,95% (março).

No acumulado do ano, foram observadas as seguintes variações: 1,18% (materiais) e 1,46% (mão-de-obra). Nos últimos 12 meses, 4,18% (materiais) e 7,37% (mão-de-obra).

Em março, os maiores índices regionais ficaram com o Nordeste (1,11%) e Sudeste (0,62%), resultados influenciados pelos estados da Bahia e Rio de Janeiro, respectivamente.

As demais variações regionais ficaram abaixo do índice nacional (062%): Sul e Centro-Oeste (0,26%) e Norte (0,14%). A região Nordeste registra ainda os acumulados mais elevados no ano (2,17%) e em doze meses (6,79%). Os custos regionais foram: R$ 615,89 (Sudeste); R$ 571,55 (Sul); R$ 563,89 (Norte); R$ 547,30 (Centro-Oeste) e R$ 541,19 (Nordeste).

Rio de Janeiro e Bahia, com variações muito próximas, registraram as maiores altas em março.

Devido aos reajustes salariais das categorias profissionais da construção civil, o estado do Rio de Janeiro registrou o maior índice mensal (2,85%) seguido bem de perto pela Bahia (2,84%). As menores variações ocorreram em: Roraima (0,04%), Amazonas e Distrito Federal (0,08%) e Pará (0,09%).

No ano, o maior acumulado ficou com o estado do Piauí (4,15%) e nos últimos doze meses com o Amapá (9,16%).

 

 

Invertia

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORTE CEGO
Megaoperação da PM em 18 bairros tem três mortos e cinco feridos
PERSISTÊNCIA
Ex-faxineiro se forma em Jornalismo e já está empregado
O QUE IMPORTA PARA VOCÊ?
Equipe médica leva paciente de UTI à formatura do filho
INDIGNAÇÃO
Pedreiro desafia Rodrigo Maia: 'Trabalhe 30 dias numa obra, que trabalho até os 80'
AMOR INCONDICIONAL
Cadela espera toda noite pela chegada de Boechat, diz mulher do jornalista
VIOLENCIA DOMESTICA
Reconstrução de rosto de mulher espancada na Barra vai durar seis meses, diz médico
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Aposentadoria é para viver, não para receber só à beira da morte
CHANTAGEM
Ladrões invadem estabelecimentos, obrigam funcionárias a tirarem a roupa, filmam e extorquem vítimas
FORAGIDO
Atirador invade escritório de advocacia e mata duas pessoas
BBB 19
Rízia chora por estar acorrentada: 'Vontade de desistir'