Menu
LIMIT ACADEMIA
domingo, 17 de fevereiro de 2019
FARMÁCIA_CENTROFARMA_FULL
Busca
ITALÍNEA
Brasil

Homem é preso por matar a mulher em casa com filhos em Camapuã

1 Set 2010 - 13h39Por Dourados Informa

Júlio César, 49 anos, foi preso ontem, acusado de matar a mulher, Oscalina Pereira, 41 anos, na casa onde ela estava com os filhos, em Camapuã, município distante 133 quilômetros de Campo Grande.

Ele foi capturado quando já estava em Paranaíba, para onde fugiu depois de matar Oscalina e ameaçar testemunhas do assassinato.

Oscalina foi morta com 18 facadas, dia 21 de agosto, na casa onde morava, na Rua Belo Horizonte.Os filhos da vítima, de 13 e 16 anos, estavam no quarto quando a mãe foi morta.

Segundo matéria do site Correio News, depois do assassinato ele fugiu e deixou ameaças de que mataria também quem o denunciou anteriormente, ou seja, uma conselheira tutelar, uma advogada, vizinhos e até um policial civil.

Anteriormente Julio César foi denunciado pela vitima Oscalina por violência doméstica. Ele chegou a ficar preso por quatro meses e voltou a ameaçar a esposa.

No dia em que foi solto, Júlio foi à residência da vitima, onde discutiram e ele desferiu os dezoito golpes de faca. A vitima por ser magra e pequena, não ofereceu resistência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OUTROS 10 ESTADOS
Horário de verão termina à meia-noite; relógios devem ser atrasados em 1h
BARBÁRIE
Rosane Santiago Silveira, torturada e morta em sua própria casa
CARRO DE APLICATIVO
Mulher é estuprada após aceitar água e bala em carro de app
VIOLENCIA DOMESTICA
Enquanto Lírio Parisotto era condenado, Luiza Brunet discutia campanha contra violência doméstica
CANALHA
Criança de 4 anos é estuprada no próprio aniversário
HORARIO DE VERÃO
Atrase seu relógio! Horário de verão termina neste sábado(16)
CARCERE PRIVADO
Mulher é chicoteada com fio elétrico pelo marido
TRAGÉDIA NA FAMILIA
Lutador de MMA mata ex de 16 anos, tenta suicídio e morre horas depois em hospital
VIOLENCIA NO RIO
Menina de 11 anos é baleada e morta em Triagem; moradores protestam
DOENÇA GRAVE
Leiliane ganha acompanhamento médico após desastre com Boechat