Menu
CÂMARA BONITO OUTUBRO 2019
domingo, 20 de outubro de 2019
CACAU SHOW FÁTIMA DO SUL 0
Busca
CIA DO BICHO
Brasil

Governo quer reajuste extra do telefone em 2 parcelas

7 Jul 2004 - 07h09
O governo quer parcelar o reajuste da telefonia fixa relativo ao ano passado em duas vezes, uma em setembro e outra em novembro. Segundo o ministro das Comunicações, Eunício Oliveira, foi essa a proposta apresentada na segunda-feira aos principais executivos das teles fixas --Telefônica, Telemar, Brasil Telecom, Embratel, Sercomtel e CTBC Telecom.

O ministro chegou a propor uma discussão sobre a possibilidade de redução do índice de reajuste, que deverá ter um impacto próximo de 10 pontos percentuais acima do aumento médio autorizado pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para este ano de 6,89%.

Ele reconheceu, no entanto, que há uma decisão da Justiça sobre o reajuste das tarifas do ano passado que não será contestada pelo governo.

"A recomendação do presidente [Luiz Inácio Lula da Silva] é a de que a negociação seja feita dentro dos limites do contrato e na defesa do consumidor", disse.

Na avaliação do ministro, a aplicação do reajuste em duas parcelas bimestrais é melhor para o consumidor que, por exemplo, em quatro vezes
mensais.

As empresas argumentaram que já perderam cerca de R$ 960 milhões cada uma no último ano, mas o ministro destacou que não irá discutir o passado, mas o futuro.

Eleições

Questionado se o parcelamento proposto pelo governo estaria relacionado às eleições municipais, já que o impacto integral das tarifas no bolso do consumidor só seria percebido em novembro, ou seja, após as eleições, o ministro fez questão de dizer que não está discutindo as eleições.
"Não estamos preocupados com esse aspecto", afirmou.

Segundo Oliveira a intenção do governo ao tentar parcelar o reajuste das tarifas é amenizar o impacto para o consumidor, mas ele disse que a medida também beneficiará as contas públicas, uma vez que reduzirá o impacto sobre a inflação.

O ministro não recebeu ainda uma sinalização das empresas sobre a aceitação ou não da proposta, mas confirmou para a tarde da próxima segunda-feira uma nova reunião com os executivos das teles para definir a questão.

Aos executivos, que resistiram inicialmente à proposta do governo de parcelar o reajuste, o ministro argumentou que tem "25 anos de praça negociando", numa referência ao período em que atuou como empresário.
 
Folha Online

Deixe seu Comentário

Leia Também

ASSASSINATO
Mulher desaparecida foi encontrada enterrada com braço para fora em canavial
TRAGEDIA NA RODOVIA
Violenta colisão entre caminhões mata os dois motoristas
ACIDENTE EM RIO
Barco com seis pessoas vira no Rio. Duas estão desaparecidas
TRISTEZA
Populares encontram corpo de criança desaparecida dentro de córrego
REFORMA DA PREVIDÊNCIA
Reforma da Previdência dos militares pode aumentar salários em até 75%
CENTENÁRIO
Aos 92 anos, Cid Moreira participa de festa pelo centenário de Orlando Drummond
POLEMICA
Sobrinho-neto do pastor Malafaia diz que família o mandou para cura gay: 'Um terror psicológico'
DOENÇA DO SÉCULO
Nego do Borel passa a limpo polêmicas em que se envolveu: Deus não me deixou entrar em depressão
MS FORTE
MS sobe duas posições no Ranking da Competitividade e é 2º em crescimento no cenário nacional
NOVELA GLOBAL
A Dona do Pedaço: Maria da Paz dá rasteira em Fabiana